Angola apresentou, recentemente, em Luanda, um estudo com o propósito de avaliar a estabilidade financeira da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) e como os bancos centrais podem estimular a economia da região numa altura de forte abrandamento.


O ducumento executado pelo Banco Nacional de Angola (BNA) foi apresentado aos governadores durante a 41ª reunião do Comité dos Governadores dos Bancos Centrais (CCGB) da SADC.

De acordo com o governador do BNA, José Pedro de Morais, há sinais positivos apesar de algumas incertezas relacionadas com a pouca procura e a baixa dos preços das “commodities”.

Superar choques
Ainda segundo José Pedro de Morais, a saída para superar os choques dos preços das commodities e relançar-se às economias é estimular a procura interna e regional. Lembrou também que quando o espaço fiscal é pequeno, o papel da política fiscal também reduz-se para criar economias.

Na sua visão, não se pode relançar as economias por vias das exportações porque não há procura por elas, “portanto temos que estimular a procura interna e já agora a procura regional”, afirmou.

O governador do BNA garantiu, por outro lado, que a questão da estabilidade financeira na região e do relançamento das economias por ser pertinente voltarão a ser abordados numa sessão estratégica que os comités reguladores têm, uma vez que a próxima sessão, prevista para final deste ano, deve passar para Fevereiro de 2016 na qual vão ser analisadas com mais pormenores.

Discussões
As reuniões centraram-se na estreita cooperação entre os bancos centrais nas áreas de política monetária, supervisão bancária, mercados monetários e de capitais, relações financeiras internacionais, sistemas de pagamento, compensação e liquidação, formação, sistemas de informação e branqueamento de capitais.

O último encontro realizado na cidade de Maputo, em Moçambique, avaliou os progressos já alcançados para uma maior integração regional, como por exemplo, o da criação de um sistema de pagamentos eficaz e abrangente que está a ser implementado a nível de cada país na SADC.

Periodicidade
O Comité dos Governadores dos Bancos Centrais da SADC (CCBG) reúne-se duas vezes por ano, em Abril e Setembro respectivamente. A presidência permanente do comité é assegurada pelo governador do Reserve Bank da África do Sul (SARB).

O CCBG foi criado em 1995, cuja criação obedeceu à necessidade de uma estrutura especializada na promoção e no alcance de uma estreita cooperação entre os bancos centrais da África Austral. Além de Angola, integram a SADC o Botswana, Lesotho, Namíbia, África do Sul, Zimbabwe, Moçambique, Madagáscar, Malawi, Ilhas Maurícias, Tanzânia, Zâmbia, Seicheles, República Democrática do Congo e Swazilândia.