Os bancos comerciais levaram, esta semana, apenas 29.422.908 do total de 30 milhões de euros que o Banco Nacional de Angola (BNA) colocou à sua disposição para a satisfação das necessidades cambiais por estes apresentadas.
Conforme justifica o banco central, a diferença de 577,092 euros que resultam de cálculos feitos pelo JE, deve-se ao facto de terem sido excluídos pagamentos não autorizados previamente pelo BNA a favor de tradings, offshores, salários acima de 15 mil euros e reposição de posição cambial.
Da referida sessão, foi apurada a taxa de câmbio média ponderada de Kz 318,064 por euro, passando a vigorar a tabela de câmbios Kz 318,358 por euro, como a mais alta e 313,676 a mais baixa.
No documento que o BNA publicou na sua página de internet, nota-se que apenas seis (6) bancos beneficiaram do leilão de divisas.
O Banco Crédito do Sul (BCS) com 7,5 milhões de euros foi quem mais levou, seguindo-lhe o Atlântico que recebeu seis milhões. Com 5,6 milhões ficou o Banco Sol e com 5,2 milhões o Banco de Comércio e Indústria (BCI). Os outros dois operadores que beneficiaram de cambiais foram o Banco de Fomento Angola (BFA) com 4,5 milhões e o Banco de Negócios Intenacional (BNI) com módicos 500 mil dólares, respectivamente.

Dólares regressam
A venda de dólares regressou aos leilões tendo o BNA efectuado, no dia 29 de Agosto, uma sessão de oferta de divisas aos bancos comerciais. Foi colocado no mercado primário o montante de USD 30 milhões para a cobertura de operações gerais, excluindo adiantamentos a favor de tradings, offshores e sociedades unipessoais.
Desta sessão foi apurada a taxa de câmbio média ponderada de Kz 276,562 por USD. Assim, o BCI, o Banco Económico e BIC foram os líderes dos dólares tendo sido atribuídos os valores de 6,7, 6,5 e 6,1 milhões de dólares, respectivamente.