A Bolsa de Dívidas e Valores de Angola (BODIVA) negociou, no primeiro semestre, 130 mil milhões de kwanzas em Títulos de dívida pública, com as Obrigações do Tesouro (OT) a destacarem-se face aos Bilhetes do Tesouro (BT).
Os dados tornados públicos através de uma nota da instituição, mostram um total de 73 mil milhões de kwanzas transaccionados de Janeiro a Junho, respeitantes às negociações em ambiente multilateral, e os restantes 57 mil milhões, em ambiente bilateral, tendo o montante médio mensal de negociação ascendido a 21,7 mil milhões.
Relativamente aos negócios realizados por ano de vencimento, a nota esclarece que as maturidades de 2017, 2018 e 2019 representaram 15; 51,7 e 16 por cento, respectivamente, ao passo que maturidades mais longas – 2021, 2022 e 2023 – representaram apenas 1,0; 2,0 e 5,0 por cento, respectivamente.
Quanto ao montante negociado por maturidade, pode ler-se, mantém-se a tendência, com as maturidades até três anos a valerem um quarto do total. As maturidades de 2021, 2022 e 2023, por exemplo, representam 0,0; 4,0 e 4,0 por cento, do total, respectivamente.
Durante o semestre, os negócios que envolvem OT (94 por cento) predominaram em detrimento dos BT (6,0). Por montante negociado consoante o tipo de valor mobiliário, as OT representaram 82 por cento e os BT 8,0. Os negócios que envolvem OT ascenderam a 106 mil milhões de Kwanzas, ao passo que os negócios referentes a BT ficaram por 24 mil milhões.
Em termos do “pricing” praticado por cada ano de maturidade, manteve-se a tendência de maior ‘desconto’ nos títulos com maturidades mais longas, o que denota maior percepção de risco por parte dos investidores.