Uma suposta lista de crédito concedidos a clientes pelo Banco de Poupança e Crédito (BPC) circula pelas redes sociais há semanas. A administração que não reconhece a autenticidade da mesma informação apenas garante que vai seguir conjuntamente com os órgãos de investigação e da justiça o caso, pois a mesma lista atenta à honra de seus clientes.
De acordo com o bancário Ricardo Viegas De Abreu, para que toda a equipa do BPC se podesse concentrar no trabalho de recuperação da instituição, foi necessário tomar medidas efectivas relativamente aos ruídos colaterais e que envolvem o desempenho do banco. Segundo ele, estes ruídos não podem afectar de forma alguma o programa de reestruturação e recapitalização em curso.

Recuperar prejuízos
Em resultado do processo de saneamento e reestruturação, o Conselho de administração do Banco de Poupança e Crédito (BPC) pretende recuperar os prejuízos registados no exercício de 2016.
Assim sendo, o gestor realçou os indicadores positivos que reflectem o papel do banco no sistema financeiro angolano, como a confiança dos accionistas registada através do crescimento do valor de depósitos em 12,1 por cento, confiança dos accionistas registada através do reforço dos fundos próprios em 26,9 por cento, crescimento da margem financeira e do produto bancário, respectivamente, em 24,8 e 8,5 por cento. Apesar da redução da margem complementar em 19,9 por cento, houve um crescimento do activo líquido em 26,2 por cento e o aumento da base de clientes em 7,9. RH