Se por um lado estão os cartões de compras com acumulação de saldos, de outro as promoções semanais de produtos de elevada procura mantêm a atenção dos consumidores para com estas unidades, pois há, visivelmente, maior oferta e a menos preços.

Produtos alimentares, electrodomésticos e outros de recreação e lazer estão no Kero, Maxi, Candando e Shoprite numa autêntica “febre” de descontos.
Mais descontraídos e com os preços sempre a chamar a atenção está também o Alimenta Angola, que mesmo sem uma campanha de publicidade agressiva recebe dos consumidores, ao apuramos, a aprovação de dispôr sempre dos melhores preços para os produtos essenciais às famílias.
De resto, tal como é habitual, a equipa deste jornal deseja-lhe boas compras, não sem antes consultar o quadro ao lado.

Consumidores aprovam fiscalização aplicada

Durante a ronda desta semana nos estabelecimentos comerciais da capital, para o levantamento dos principais preços dos bens alimentares, a equipa do JE ouviu alguns consumidores acerca dos actuais preços praticados dentro dos supermercados, nas cantinas, armazéns e lojas espalhadas pela capital. Na ocasião, constatou-se que, para muitos consumidores, é satisfatório o actual preço praticado nos estabelecimentos, sobretudo os da cesta básica, uma vez que há alguns meses, adquirir um bem de primeira necessidade se tornara quase que impossível.
“Hoje já consigo levar 50 mil kwanzas ao armazém e trazer comigo alguma coisa de significado para o consumo mensal da família, o que já era quase impossível meses atrás”, disse Marta Felícia.
Já Sandra Pena, outra consumidora luandense, afirmou que a unificação de preços dos produtos da cesta básica é importante, pois evita que as pessoas percorram grandes distâncias para procurar superfícies comerciais com preços mais baixos em épocas normais, e do mesmo modo possibilita o aumento das quantidades de bens essenciais. O controlo que as autoridades têm feito aos supermercados e mesmo aos mercados informais é positivo”.