Embora já seja visível uma acentuada estabilidade no custo total da cesta básica alimentar, o preço médio de 20 mil kwanzas (quadro ao lado) por cerca de 24 itens ainda é encarado com alguma reserva.
O aumento do rendimento dos vários grupos sócio-profissionais parece não ser a resposta que se busca, porquanto o custo final dos produtos ainda parece longe do alcance dos bolsos mais “humildes”.
Há claramente a necesidade dos programas de fomento à produção interna acelerarem a sua materialização. Nisso, a participação dos empresários deve ser mais acertiva, pois a produção importada continua a encarecer o custo dos produtos (ver no quadro os preços da cebola e da batata rena, nalguns locais por exemplo).
Vezes sem conta e por força de certa propaganda, também deve-se atentar ao facto de no caso do açucar a oferta nacional (custo do quilograma) estar a volta dos kz 300, mas existir o mesmo produto importado, com o rótulo de ser mais saudável, e custar pela mesma quantidade o valor não inferior de mil kwanzas.