Todo o cheque bancário usado para pagamentos no sistema bancário está limitado, doravante, ao valor de nove milhões, novecentos e noventa e noventa mil, novecentos e noventa e nove kwanzas e noventa e nove cêntimos, conforme estipula o instrutivo emitido pelo Banco Nacional de Angola (BNA).
Segundo o documento, acima deste valor, ou seja, se o cliente dirigir-se a um banco ou instituição autorizada a fazer pagamentos com valor de 10 milhões ou acima disso o mesmo cheque passa a ser rejeitado.
O cheque é um instrumento de pagamento que permite movimentar fundos disponíveis numa conta de depósitos à ordem do nível 1, definida no Aviso nº 06/14, de 1 de Outubro. O cheque é consubstanciado num formulário padronizado de acordo com especificações aprovadas pelo BNA, designado por cheque normalizado.
Num cheque, o sacador (emitente do cheque) dá uma ordem ao sacado (o banco onde a sua conta está domiciliada), para que este pague ao beneficiário do cheque (que pode ser o próprio sacador ou um terceiro) a quantia indicada no cheque.
Muitos bancos, actualmente, recomendam a transferência do que a emissão de cheque a favor de um terceiro.