Todos os anos a “música”, a esta altura do aproximar do fim do ano lectivo, é a mesma. As direcções das escolas particulares vulgo colégios cobram dois meses em simultâneo, no caso os de Outubro e Novembro.
Os pais, como os compete, já abriram a lista de reclamações e as vozes de reprovação de tal medida é cada vez mais forte. da parte dos colégios a justificação está no facto de que, os encarregados, por regra, nessa época de fim-de-ano deixam de ir à escola e os prejuízos são enormes, atendendo que elas têm compromissos com seus trabalhadores, muito dos quais vão trabalhar até Dezembro.
O “A Voz do Cidadão” foi aos normativos e uma vez mais, antecipando já pronunciamentos de condenação das autoridades oficiais, traz à memória as declarações anteriores feitas a este respeito pelo chefe de repartição do ensino geral, da direcção provincial de Luanda.
Orlando Lundoloki esclarece que, só as classes de exame (6ª e 9ª), é que devem pagar o mês de Dezembro (11 meses). Há entre as de exame e as de transição automática (pré, 1ª, 3ª, 5ª, 7ª e 8ª) a 2ª e a 4ª classes, anteriormente de exames, mas que com a reforma passaram apenas a fazer provas de escola, logo pagam também só até Novembro, que equivale a 10 meses lectivos a contar do início em Fevereiro. Sobre a cobrança antecipada de propinas é prática incorrecta.IL