A proposta de Plano de Caixa do mês de Janeiro de 2017, que condensa quer os fluxos de entrada de recursos e os pagamentos, quer as operações financeiras e os riscos associados à sua execução, foi aprovada na passada sexta-feira (13), em Luanda, na 1ª reunião ordinária conjunta das Comissões Económica e para a Economia Real do Conselho de Ministros.
Por outro lado, foi aprovado o relatório de balanço da execução do Plano de Caixa de Novembro de 2016, cujas despesas foram executadas em cerca de 86 por cento, relativamente ao montante programado.
O encontro orientado pelo Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos serviu igualmente para aprovar as propostas de programação financeira do tesouro nacional para o ano de 2017, que apresentam a projecção de entradas e saídas de recursos financeiros nos períodos a que se reportam, registando operações de incidência directa e indirecta de tesouraria.
Foi igualmente aprovado o Plano de Individamento do Estado para 2017, que reflecte a estratégia que será adoptada nesta matéria para o exercício económico de 2017, incluindo o limite do nível de endividamento.
As Comissões Económica e para a Economia Real do Conselho de Ministros procederam ainda a análise do relatório e contas de 2015 do Banco Nacional de Angola, tendo apreciado e aprovado a proposta de programação macroeconómica executiva para 2017, que consubstancia a estratégia de gestão conjuntural do Executivo para prossecução dos objectivos definidos no Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) 2013-2017, com base no Orçamento Geral do Estado de 2017.