As constantes faltas de dinheiro nos multicaixas têm estado a criar muitos constrangimentos aos clientes, que falaram ao JE, durante uma ronda efectuada em alguns pontos da cidade e periferia, ávidos de obter alguns valores monetários para suprir as necessidades do fim-de-semana.
Por via do uso frequente dos cartões multicaixa pelos cidadãos, a moeda é valorizada, equilibra-se a paridade cambial, a capacidade de liquidez dos bancos e empresas é ampliada, e promove-se o crescimento do volume de negócios.
Dados da Empresa Interbancária de Serviços (Emis) apontam que oito milhões de cartões multicaixas foram emitidos, desde 2002 a 2018, pela pela instituição, com vista a contribuir na massificação do pagamento electrónico em Angola, garantindo a segurança, eficácia, comodidade e inovação ao menor custo.
Além destas operações tradicionais, as caixas electrónicas também disponibilizam como serviços correntes, as consultas de saldo bancário, do IBAN, pagamento de serviços multi-choice, recargas telefónicas e transferências inter-bancárias.
A implementação de serviços que permitem o utente bancarizado fazer o levantamento ou transferências de dinheiro nas Caixas Automáticas sem o cartão multicaixa.
Durante a ronda, foi visível constatar que onde estão instalados quatro ou mais terminais de pagamento automático, apenas um se encontrava operacional.
Giovani Félix estudante, disse que já chegou a sair da cidade do Sequele até ao Morro Bento à procura de um multicaixa com carregamento de dinheiro e demorou cerca de duas horas para ter acesso ao equipamento, lamentou o facto, apesar de reconhecer ser um risco guardar avultadas somas de dinheiro em casa, considera também que os valores depositados no banco nem sempre estão disponíveis quando os precisa.
Já a funcionária Nair Valente, explicou que é necessário que os bancos estejam em sintonia com a Emís de modo a fazer um trabalho mais elaborado, acredita ser inadmissível uma pessoa ter o dinheiro no banco e não ter acesso ao mesmo a tempo e hora. A Emís precisa disponibilizar o dinheiro necessário aos bancos, e por sua vez os bancos devem carregar os multicaixas sempre que for preciso.
Na sua opinião, o empresário Jorge Amado, explicou que podem-se alcançar novos patamares quando houver adesão massiva aos instrumentos de pagamento escritural, tais como pagamento automático, transferência bancária e serviços de compensação de valor de forma efectiva. Mas para isso acontecer é necessário que haja maior seriedade por parte da Emís e os agentes bancários, é muito comum faltar dinheiro nos multicaixas em quase todos bancos, e às vezes nem a sorte de estes funcionarem. Ou falta dinheiro ou falta papel
ou está fora de serviço.