A direcção de Finanças do Cunene arrecadou, entre Janeiro e Julho, um valor superior a sete mil mil milhões de kwanzas, segundo fez saber o seu responsável.
César Lucas disse à Angop que o valor arrecadado tem como fonte principal os serviços aduaneiros, com sete mil, 93 milhões, 189 mil e 532 kwanzas. A Repartição Fiscal do Cuanhama, com um total de 317 milhões, 668 mil e 648 kwanzas, e a do Xangongo, com 37 milhões, 969 mil e 590 kwanzas surgem na frente.
Comparativamente a igual período de 2016, César Lucas garantiu a existência de um acréscimo de 1,226 mil milhões, 894 mil e 766 kwanzas, fruto do pagamento de vários impostos pelos agentes económicos.
Ainda conforme ebvidenciada nas informações disponibilizadas pela delagação do Cunene, nos sete meses foram efectuadas despesas (pagamentos de salários, bens e serviços) num total de 10,975 mil milhões, 128 mil e 251 kwanzas e 97 cêntimos, mais 3,728 mil milhões, 198 mil, 774 kwanzas e 77 cêntimos em relação a igual período de 2016.
Num outro prisma, 10 infracções fiscais tributárias foram registadas ao longo da semana finda, pelos efectivos da Polícia Fiscal, mais uma em relação ao período anterior.
O valor apreendido foi encaminhado ao Banco Nacional de Angola (BNA), enquanto que as mercadorias à AGT.