Os preços das passagens aéreas, tanto domésticas como internacionais preocupam os cidadãos e inibe as famílias a programarem férias até para o interior do país com recurso àquele meio de transporte.
As passagens para voos às províncias estão a ser comercializados a mais de 77 mil kwanzas. Só para citar como exemplo, os bilhetes para o Huambo, actualmente estão a ser comercializados a 142.382 kwanzas (executiva) e 83.941kwanzas (económica). Para a cidade de Menongue (Cuando Cubango).
Os entrevistados da reportagem equipa do JE alegam que atendendo às dificuldades económicas em que o país atravessa, não se justificam os preços praticados pela Taag.
A funcionária pública Reandra Domingos, casada, disse que com os preços praticados fica difícil até para o próprio angolano conhecer o seu país.
“ É complicado. Hoje em dia até fica mais fácil viajar para Namíbia por exemplo, do que dar um pulo aqui em Benguela de avião”, confessou.
A bancária Sandra Conceição afirmou que, nos últimos tempos, se sente mais motivada a viajar para o exterior do país por demonstrar uma resistência a aceitar os preços das passagens domésticas.
“Eu não havia prestado atenção, mas acho que os nacionais estão muito mais caros. Não se admite que para viajar para Benguela por exemplo o cidadão nacional tenha de pagar mais de 80 mil kwanzas, numa altura dessas”, sustentou.
Por sua vez Alfredo da Costa, trabalhador por conta de outrem, casado, defende que o Governo ao elevar o custo de certos serviços não tem tido em conta as condições sociais da camada mais desfavorecida.
“Eu acho que com o salário que tenho os meus filhos nunca vão poder viajar de avião. As coisas estão cada vez mais difíceis, e só Deus mesmo para nos ajudar”, confessa.
Cândida Miguel, disse que a família sente-se desmotivada a viajar nas férias por considerar uma dor de cabeça, a começar pelo preço das passagens.
“É bastante desmotivador planear as habituais férias para a minha família. Passagens caras, dificuldades de divisas, é muito difícil e frustrante planear férias em Angola”afirmou Para a funcionária pública Eudália Jorge, os preços praticados pela Taag são “um absurdo”, e aponta como razão principal o poder de compra que os salários perderam.
“ É um absurdo. Com o poder de compra que se perdeu, mesmo com os aumentos acho que temos de esquecer que existe transporte aéreo em Angola.
Eudália Jorge
Funcionária Públicaè um absurdo. Com o poder de compra que se perdeu,  mesmo com os aumentos, acho que temos de esquecer que existe transporte aéreo em angola.

Reandra Domingos-Comando Geral É complicado. Hoje em dia até fica mais fácil viajar para a Namíbia, do que dar um pulo aqui em Benguela de avião

Sandra Conceição-Bancária
Eu não havia prestado atenção, mas acho que os nacionais estão muito mais caros. Não se admite que para viajar para Benguela por exemplo o cidadão nacional tenha de pagar mais de 80 mil kwanzas, numa altura dessas

Cândida Miguel Estudante
É bastante desmotivador planear as férias habituais para a minha família. Passagens caras, dificuldades de divisas. É muito difícil, e frustrante planear férias em Angola

Alfredo da Costa-Trabalhador por conta de outrém
Eu acho que com o salário que tenho os meus filhos nunca vão poder viajar de avião. as coisas estão cada vez mais difíceis, e só Deus mesmo para nos ajudar