Cada vez mais compra-se com o auxílio de uma lista ao mesmo tempo que se olha mais aos preços estampados nas prateleiras de exposição dos produtos nos supermercados.
Os cartões de descontos acumulam bonus em determinados produtos e estão, neste momento, a servir de chamariz para um “aparente” consumismo ou como já terá chamado um suposto “expert” conumo irracional.
O gerente de stocks Belo Amado, nome fictício, no Maxi da Samba, disse que os cartões são uma estratégia de fidelização dos clientes e através dos quais se vende mais.Para Belo Amado, o cliente no interior do supermecado às vezes é irracional e atraído pela organização das secções alimentares, dando-se vazão ao princípio de que compra-se primeiro com os olhos, logo, é na parte frontal do acesso à loja que se põem os letreiros das campanhas de promoção e de baixa de preços.
Esta semana, nas lojas Maxi estão a sair a preços promocionais, vários produtos, entre os quais os cereais e as farinhas lácteas. Quando descontados nos cartões, acumulam bónus.

índice de preços no consumidor varia 1,09 % em maio
O Índice de Preços no Consumidor Nacional registou uma variação de 1,09 por cento, durante o período de Abril a Maio de 2019. No gráfico a seguir apresenta-se a variação dos preços durante o mês de Maio de   2019 por província. As províncias  que registaram maior aumento foram Huíla com 1,38, Cunene  com 1,36, Malanje com 1,34, Lunda Sul e Cuanza Sul com 1,22 cada. As províncias com menor variação foram Benguela com 0,85, Uíge com 0,88, Namibe com 0,93, Bié com 0,97 e Zaire com 1,01. A classe “Saúde” com 1,95 por cento, foi a que registou o maior aumento de preços. Destacam-se também o aumento de preços verificados nas classes “Lazer, Recreação e Cultura” com 1,82, “Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção” com 1,21 e “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” com 1,20. A variação homóloga situa-se em 17,14 por cento, registando um decréscimo de 2,70 pp com relação à observada em igual período do ano anterior. No gráfico abaixo apresenta-se a tendência da variação homóloga de Maio 2018 a Maio 2019.
A classe “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços, com 0,55 pp durante o mês de Maio, seguida das classes “Saúde” e “Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção” com 0,09 cada, e “Bens e Serviços