As notas e moedas em posse do público foram calculadas, no mês de Julho, em 338.692 milhões de kwanzas (equivalentes a 926,2 milhões de dólares).
O valor de Julho é superior aos 333,0 mil milhões de Junho, que foi inferior aos 350,1 mil milhões do mês de Maio. Já em Abril, o agregado monetário contabilizou kz 349,0 mil milhões ainda assim, inferior aos kz 353,7 mil milhões do mês de Março.
O Comité de Política Monetária do BNA, na sua última reunião do mês de Julho, fez saber que o agregado monetário M2 em moeda nacional, que congrega a totalidade dos depósitos bancários em moeda nacional e as notas e moedas em poder do público, registou uma variação positiva de kz 20,83 mil milhões em relação ao nível observado em Maio de 2019, tendo passado de kz 4,41 biliões para kz 4,43 biliões em Junho de 2019, o que corresponde a um aumento de 0,47 por cento. Este aumento reflectiu-se na totalidade dos depósitos que, no período expandiram em kz 37,94 mil milhões, sendo que as notas e moedas em poder do público contraíram em kz 17,12 mil milhões, passando o seu stock para kz 333,06 mil milhões. Nos últimos 12 meses, o indicador M2 variou negativamente em 0,29 por cento.
Em Junho, o stock do crédito em moeda nacional registou uma expansão mensal de 0,53 por cento, face ao aumento de 2,48 registado no mês de Maio. Nos últimos 12 meses, este indicador  decresceu  2,42 por cento.
O agregado monetário M2 em moeda nacional, que congrega a totalidade dos depósitos bancários em moeda nacional e as notas e moedas em poder do público, registou uma variação positiva, tendo passado em Novembro de kz 4,36 biliões para kz 4,50 biliões em Dezembro de 2018, o que corresponde um aumento de 3,10 por cento. Nos últimos 12 meses, este indicador variou negativamente em 0,52 por cento.
O Stock do crédito em moeda nacional registou uma expansão de 0,50 por cento, face à contracção de 0,42 no mês de Novembro. Nos últimos 12 meses, cresceu em torno dos 20,16 por cento.


Depósitos no BNA acentuam a estabilidade do sistema bancário


As Estatísticas Monetárias e Financeiras do Banco Nacional de Angola (EMF/BNA) do mês Julho atestam um valor de 274,6 mil milhões de kwanzas em depósitos no banco central.
De acordo com o documento sobre a síntese das outras sosociedades de depósitos,
no mês de Junho a mesma rubrica concentrou o valor de 241,9 mil milhões, já acima dos 240,0 mil milhões de Maio.
Em termos de activos externos (xxxxxxx), o BNA confirma, até Julho, um património estimado em 1.348 mil milhões de kwanzas, contra um passivo de 531,2 mil milhões de kwanzas.
O relatório avança que a rubrica outros activos e passivos líquidos, até Julho, eram de 290,6 mil milhões de kwanzas.
Na síntese do BNA, as reservas bancárias são de 1.377 mil milhões de kwanzas, dos quais 882,7 mil milhões são em moeda nacional e 494,9 mil milhões em moeda estrangeira.
Para dar maior confiança ao sistema bancário angolano, o banco central, em Junho, formalizou a entrada em operações do Fundo de Garantia de Depósitos.
O governador José de Lima Massano observou, na ocasião, ser op Fundo de garantia de depósitos um instrumento que resulta da necessidade reconhecida de se ter um mecanismo independente, para garantir uma protecção pré-planeada e ordenada dos depósitos, evitando à procura improvisada, por fundos, nas políticas aleatórias do sistema financeiro.
Sistema de Pagamentos
O Banco Nacional de Angola (BNA) está a revisar a Lei do Sistema de Pagamentos, para permitir trazer novas soluções de pagamentos digitais no sistema financeiro angolano, no quadro do programa de inclusão financeira.
A iniciativa conta com o apoio do Banco Mundial (BM) e a intenção do Banco Central angolano é fechar o processo de revisão até o final do ano em curso, de acordo com o seu governador.
Com esta acção, até 2020, segundo José Massano, prevê-se uma taxa de bancarização de 50% no mínimo de população adulta bancarizada contra os 29% actuais, definidos pelo Banco Mundial.
“ Com estas medidas queremos cumprir com os objectivos de inclusão financeira medido por bancarização”, sublinhou o governador do Banco Central de Angola, que falava na abertura da  8ª Conferência Anual sob lema “Inclusão Financeira”, assegurou.

RIL com sinais de recuperação

As Reservas Internacionais Líquidas (RIL) de Angola subiram, em Julho, 300 milhões de dólares, comparativamente ao mês de Junho, passando para 9,8 mil milhões de dólares (equivalentes a kz 3.597 mil milhões), contra os anteriores 9,5 mil milhões((kz 3.484 mil milhões).
De acordo com o quadro síntese sobre o mercado monetário nacional divulgado ontem pelo Banco Nacional de Angola, na sua página de internet, a tendência de recuperação começou a ser desenhada mesmo em Junho quando foram calculadas as Reservas Internacionais em 9,5 mil milhões de dólares (calculados ao câmbio da Plataforma Forex “Oanda” de quarta-feira, 28), isso depois de em Maio ter estado nos 9,2 mil milhões (kz 3.398 mil milhões) e em Abril o valor foi de 9,5 mil milhões de dólares (kz 3.478 mil milhões).
O valor mais baixo, até aqui, foi estimado em Março com 8,9 mil milhões (3.263 mil milhões).
Já o crédito cedido aos residentes, excluindo a administração central, de acordo com um documento do BNA, no mês de Julho, foi de 46.490 milhões de kwanzas (127,1 milhões de dólares) desembolsados,  acima dos 44.667 milhões (usd 122,1 milhões) do mês de Junho.