As pessoas buscam cada vez mais encontrar as melhores formas de poupar recursos e prover meios e subsistência para situações imprevistas.
O dilema persiste na “ginástica financeira” de poupar algum dinheiro no final do mês mesmo com o pouco que se ganha. A equipa do “Poupar Kumbu” ouviu segmentos da população bancarizada para aferir sobre as melhores práticas de poupança financeira.
Para as entrevistadas, o cartão multicaixa, temido por muitos, ainda assim é o melhor recurso para quem quer ter dinheiro sempre presente, pois o papel físico representa uma “tentação” de comprar tudo que aparecer logo ao virar a esquina.
Zélia da Silva está desempregada, mas tem se dedicado em pequenos negócios. Do pouco que consegue, busca guardar o necessário para garantir provisão em situações adversas.
Para ela, entre ter o dinheiro às mãos ou em cartão multicaixa, mas vale a segunda opção. Embora também admita que com o multicaixa compra-se, actualmente, em quase todos os cantos da cidade de Luanda onde reside, na zona do Morro do Bento. Ainda assim, segundo disse, é preferível do que andar com somas de dinheiro na mão ou que seja na pasta (risos).
Por sua vez, a estudante de Gestão de uma das universidades privadas da capital Luanda, Maria de Lurdes Cordeiro, diz não ter dúvidas: “dinheiro na mão não. Multicaixa é melhor”.
Naquilo que diz ser a sua expêriência, nem sempre poupa porque ainda falta sempre um pouco mais para fazer face aos desafios do mês e, enquanto estudante, tenta ser razoável com o momento de comprar e buscar os preços mais vantajosos. De resto, acredita que tudo passará pela disciplina.