Mais informação e aproximação aos agentes económicos, com destaque para os despachantes e importadores de mercadorias, com vista a impulsionar o pagamento de impostos fiscais com regularidade, foram defendidas na terça-feira, 19, pelo director regional da 1ª Região Tributária da Administração Geral Tributária (AGT),Afonso Eduardo dos Santos.
De acordo com Afonso Eduardo dos Santos, que falava na abertura de um encontro realizado numa das salas de reuniões da AGT na cidade do Soyo, a ausência de informações técnicas por parte dos agentes económicas, tem se resultado em multas e juros decorrentes do desconhecimento de alguns procedimentos, bem como de alguma legislação tributária.
“Há uma gritante ausência de informações técnicas por parte dos distintos contribuintes, importadores e consequentemente seus representantes e, nem sempre enquanto AGT estamos tão próximos destes intervenientes, cujo quadro doravante deve ser alterado para troca de informações importantes relativamente a actividade da AGT”, acrescentou.
Afonso dos Santos, avançou que, a 1ª Região Tributária que compreende as províncias de Cabinda e Zaire, pretende trabalhar com todos os agentes económicos para em conjunto atingirem a qualidade e por esta via a excelência.
“O que pretendemos é materializar o princípio de aproximação, queremos estar cada vez mais próximos dos contribuintes, quer sejam importadores ou seus representantes para então, começarmos a trabalhar juntos e, por via do exercício da nossa actividade fazermos um melhor trabalho para alcançarmos melhores resultados. Isto, permite-nos fazer um trabalho de excelência e acima de tudo permite-nos fazer um trabalho de qualidade”, frisou.
O director regional da 1ª Região Tributária, disse ainda que, os importadores, os contribuintes e seus representantes, não devem estar a margem das alterações da legislação fiscal, aduaneira e outras que têm sido levadas a cabo, sob pena de continuarem a cometer erros durante o exercício da sua actividade.