O número de estações de serviço para lavagem e manutenção de viaturas na província do Bié está a aumentar consideravelmente, criando emprego para jovens que encontram aí o ganha-pão para sustentar as suas famílias.
O JE fez uma ronda nas principais artérias da cidade do Cuito, tendo constatado a presença de várias estações de serviço sob gerência de cidadãos nacionais e estrangeiros. As pertencentes aos estrangeiros, sobretudo asiáticos, são as que oferecem maior
confiança aos clientes.
Existem oito estações de serviços, no Cuito, que prestam serviço diariamente ao público.
Abraão Barbosa, gerente de uma das estações de serviço do bairro piloto, zona urbana da cidade do Cuito disse ao JE que a empresa funciona há dois
anos e o negócio é rentável.
Disse que é na época chuvosa que se regista maior clientela, tendo em conta o excesso de “lagoas” que existem
nas zonas periféricas.
A empresa empregou 10 jovens, dos quais dois na área de bate-chapa, 4 na pintura, dois na área de recauchutagem e lavagem de viaturas e igual nímero na área de mecânica.
Com a criação da associação dos mecânicos, Abrão Barbosa disse que, o serviço vai estar melhor organizado.
Entre várias estações existentes no Cuito, visitámos, igualmente, a estação de serviço sem manutenção, denominada “Sidarta Vanois” .
Segundo o gerente da “Sidarta Vanois”, António Yongole, a sua estação está aberta há três anos, e possui clientes permanentes que deixam as suas viaturas sem desconfiança.
“ A qualidade e a confiança no serviço prestado é o elemento fundamental para qualquer relação de trabalho que possa existir entre o prestador de serviço e o cliente como consumidor final do produto”, destacou.
António Vanois e a sua estação de serviço têm preços estipulados que variam entre kz 2.500 e 4 mil, dependendo do tamanho das viaturas.
António Yongole, disse ter empregado quatro jovens para a lavagem e manutenção de viaturas.