A receita petrolífera angolana, em Dezembro de 2017, cifrou-se em 1,6 triliões de kwanzas.
Conforme o relatório mensal, publicado na página de internet do Ministério das Finanças, em Dezembro, foram comercializadas 595 milhões de barris ao preço médio de 52 dólares, gerando uma receita da concessionária de 1,06 triliões de kwanzas aos quais somam-se as receitas dos impostos para totalizar a cifra de 1,6 triliões já avançados.
No documento, que se baseou nas informações submetidas à Administração Geral Tributária (AGT), o Minfin dá conta de que o bloco 17 com 219 milhões de barris foi o mais produtivo, seguindo-se-lhe o 15 com 103 milhões de barris. Nesse período, o preço mais alto foi o do 52,91 dólares com que se comercializou os produtos do bloco 17. No bloco 15, o segundo mais produtivo, o preço de venda do barril foi de 50,07 dólares.
Neste mesmo mês, o Imposto sobre o Rendimento do Petróleo (IRP) foi de 416 mil milhões de kwanzas, cabendo, de igual modo, ao bloco 17 a maior contribuição por unidade com um total de 201,9 mil milhões. O bloco 15 deu 75,3 mil milhões e o 31 com 30 mil milhões fizeram o top 3. O Imposto sobre a Produção de Petróleo totalizou 136 mil milhões e o Imposto sobre a Transacção de Petróleo (ITP) 156 milhões, respectivamente.