Ao pronunciar-se sobre a estratégia de regularização gradual dos pagamentos atrasados internos, bem como dos valores disponibilizados para liquidação da dívida, o governante fez saber que os pagamentos serão feitos de forma faseada, priorizando os credores que prestaram serviço aos sectores mais sensíveis, nomeadamente da
defesa, saúde e educação.
Archer Mangueira deu também a conhecer, durante a reunião do Conselho Nacional de Concertação Social, que a fraca qualidade dos projectos apresentados tem condicionado a implementação da linha de crédito de apoio ao empreendedor jovem, designado de Projovem.
“Até ao momento foram aprovadas sete propostas no âmbito do Projovem, que totalizam cerca de 22 milhões de kwanzas”, disse.
O ministro Archer Mangueira prometeu, no entanto, maior celeridade na gestão da linha de crédito, tendo dado garantia de melhorias na assistência aos projectos de financiamento submetidos à banca.
Dados, anteriormente, avançados pela Unidade de Gestão da Dívida dão conta da existência de uma verba de 599 mil milhões de kwanzas (cerca de 3,6 mil milhões de dólares), já disponibilizados para esse efeito.
Contudo, a estratégia adoptada pelo Ministério das Finanças prevê liquidar parte em cash e outra parte em Títulos, a fim de não alimentar a inflação.