Angola implementou as recomendações do Sistema Avançado de Divulgação de Dados Gerais (e-GDDS) do Fundo Monetário Internacional (FMI), com a publicação de dados críticos através da “hub de dados” - a Página Nacional de Dados Resumidos (NSDP), indica um comunicado divulgado ontem pela instituição.
A página tem como objectivo servir como um balcão único para dados macroeconómicos essenciais sobre contas nacionais, operações e dívida do Governo, sector monetário e financeiro e balanço de pagamentos.
Esses dados serão divulgados em formatos humanos e legíveis por máquina.
O e-GDDS foi criado pelo Conselho Executivo do FMI em 2015, para apoiar a melhoria da transparência de dados, incentivar o desenvolvimento estatístico e ajudar a criar sinergias entre a disseminação de dados e a vigilância.
O NSDP é mantido através de uma plataforma de dados aberta, fornecida pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e pelo Quadro de Avisos de Padrões de Divulgação do FMI. A página do NSDP contém “links” para estatísticas publicadas pelos produtores oficiais de dados, nomeadamente o Ministério das Finanças, o Banco Nacional de Angola (BNA) e o Instituto Nacional de Estatística (INE).
A publicação de dados macroeconómicos essenciais através do PDSN reduz os encargos de informação de dados das autoridades angolanas a diferentes agências e mercados. O NSDP proporciona aos formuladores de políticas nacionais e às partes interessadas nacionais e internacionais, incluindo investidores e agências de classificação, fácil acesso às informações que o Conselho Executivo do FMI identificou como críticas para o monitoramento das condições e políticas económicas.

Breves 

Novo modelo de fiscalização entra em vigor no próximo ano Um novo procedimento denominado “fiscalização concomitante”, entra em vigor em 2019, anunciou, na quarta-feira, no Luena (Moxico), a juíza conselheira presidente do Tribunal de Contas (TC), Exalgina Gamboa. A responsável
explicou que a “fiscalização concomitante” é uma modalidade que visa o acompanhamento da execução dos actos e contratos, antes da sua conclusão, através de inquéritos e de auditorias de natureza operacional.


INVESTIMENTO
ADRA financia Usd 3 milhões para vários projectos em Angola Cerca de 22 projectos, no valor global de três milhões de dólares, foram desenvolvidos em várias províncias do país em 2018, com a facilitação da Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA), disse na quinta-feira, em Luanda, a presidente do Conselho Directivo da organização, Maria-Teresa Victória. Os referidos projectos, ligados ao apoio agrícola, cidadania, diálogo entre as administrações e as comunidades, monitoria de políticas públicas, programas de desenvolvimento local sustentável, autarquias entre
outros, beneficiaram 54 mil famílias, onde 60 % são mulheres rurais.


FEIRA DE NEGÓCIOS
Missão angolana participa no Cairo com 120 delegados Uma delegação empresarial angolana, encabeçada pelo ministro do Comércio, Joffre Van-Dúnem Júnior participa de 11 a 17 de Dezembro na primeira feira de negócios “Intra-África-2018” a decorrer na cidade do Cairo, Egipto. A iniciativa é da União Africana (UA) e o consórcio de bancos do continente, Afreximbank e contará com a presença de 120 individualidades angolanas das quais 24 são expositores que representarão o país numa das principais plataformas de comércio do continente africano.