A Empresa Interbancária de Serviços (EMIS) registou, nos últimos nove meses, um total de 25 reclamações de fraudes derivados da troca de cartões multicaixa por meliantes e aponta como causa negligência dos proprietários. De acordo com o Administrador Executivo para Área do Controlo de Fraude da EMIS, Joaquim Caniço, estas situações tendem a acontecer principalmente entre 26 e 30 de cada mês, altura de pagamento de salários da função pública, gerando altas concentrações de dinheiro nas contas dos clientes. “ As fraudes acontecem mais com a população que tem dificuldades de manusear o cartão e essa situação faz com que tenham que ser ajudados ao levantar ou ao fazer pagamentos e para o efeito têm de fornecer o PIN a um estranho. Portanto, é aí que normalmente os meliantes efectuam a troca do cartão. Sem especificação do montante do prejuízos, dados da EMIS revelam o período de Janeiro a Março considerado o mais crítico, com um total de 12 reclamações de fraudes , sendo que no segundo e terceiro trimestre registaram-se 10 e 3 situações de fraude, respectivamente. O administrador da EMIS apela a população a redobrar os cuidados e afirma que os meliantes já se aperceberam que a falta de literacia dos utentes de multicaixa é já um caso recorrente, “ por isso é que muitas vezes se registam se enchentes nos multicaixas, mas nem todo mundo esta nas filas para levantar dinheiro”, informou. “ O meu conselho é que a população não deve aceitar ajuda para fazer transacções no caixa automático, e se deparando com situações suspeitas de possível fraude solicitar de imediato o cancelamento do cartão aos órgãos de direito”, apelou.

Personalização
O administrados da EMIS informou que existe já um processo de substituição de cartões não personalizados para os personalizados, e adicionado a isso o processo de migração do actual cartão de banda magnética para o de chip, que é também personalizado para diminuir riscos de roubos. “Só para ter ideia, são mais de 4.500 mil cartões multicaixa que circulam, portanto é um processo paulatino, que ainda vai demorar algum tempo, pelo que apelo a população a colaborarem”, disse.