O governador do Banco Nacional de Angola (BNA), Valter Filipe disse que a moeda nacional conheceu diversas formas ao longo do tempo, mas sempre associada aos diferentes momentos do contexto socioeconómico e político do país.
Valter Filipe, que discursava na cerimónia do 40º aniversário da moeda nacional, afirmou que é imperioso associá-la ao percurso económico da Nação, destacando os marcos históricos que nos remeteram para as transformações registadas: o novo kwanza em 1990, kwanza reajustado 1995, o kwanza em 1999 e mais recentemente, em 2013, a retirada de circulação da série de 1999 e consequentemente o lançamento da nova família de notas e moedas.
Além disso, o governante realçou que a trajectória da moeda nacional permite fazer uma incursão sobre os desafios relacionados com a utilização dos instrumentos de pagamento, de modo a tornar o kwanza cada vez mais ajustado às funções intrínsecas da moeda enquanto meio de troca, de pagamento e de reserva de valor.
Na ocasião, sublinhou por outro lado que as previsões para 2017 apontam no sentido de um abrandamento do comércio mundial, sobretudo nas economias avançadas, com impactos sobre o nível das importações de 4,3 para 3,4 por cento e exportações de 3,4 para 2,5, denotando que permanecem alguns riscos para o desenvolvimento do comércio mundial.
A política monetária implementada pelo BNA combinada com a política fiscal e comercial permaneceu cautelosa, em resposta ao controlo da inflação observada.
Em 2016, o Comité de Política Monetária do BNA, de modo a travar o processo inflacionista, procedeu ao ajustamento das taxas directoras no II semestre de 201, aumentando a Taxa do BNA de 12 para 16 por cento ao ano, a taxa da facilidade de cedência de liquidez de 14 para 20 por cento e a taxa da facilidade de absorção de liquidez a 7 dias de 2,25 para 7,25 por cento e aumentada as despesas obrigatórias.
Esta política, segundo Valter Filipe, tem contribuído para enxugar a liquidez do mercado de forma significativa, o que tem permitido o curso de desaceleração da inflação mensal nos últimos meses.
O governador afirmou que Angola vive um cenário de implementação do processo de diversificação da economia como pressuposto fundamental para o desenvolvimento e prosperidade. Tal processo passa certamente pelo desenvolvimento da agricultura e do sector industrial dando robustez ao sector produtivo por todo o país.
“Para o efeito, será necessário garantir a manutenção das funções da moeda nacional como meio de troca, unidade de conta, reserva de valor e instrumento de poupança, de investimento e de crédito”, afirmou Valter Filipe.
O Plano Nacional de Desenvolvimento realça o papel crucial do sector privado como factor impulsionador do crescimento económico.
Segundo Valter Filipe, o BNA enquanto emissor e responsável pela preservação do valor da moeda nacional, cabe a honrosa responsabilidade da garantir a estabilidade do valor da moeda nacional, que será sempre um instrumento espiritual e material para a promoção da economia nacional.