O Governo angolano investiu, desde 2007, no Programa de Reestruturação do Sistema de Logística e Distribuição de Produtos Básicos à População (Presild) pelo menos 600 milhões de dólares norte-americanos, disse esta segunda-feira o vice-ministro das Finanças, Manuel da Cruz Neto.

Em entrevista à Angop, o coordenador da Comissão de Acompanhamento, Supervisão e Controlo do Presild disse que se prevê gastar até 2012, altura da conclusão do projecto, um bilião e 500 mil dólares norte-americanos, podendo este valor diminuir ou aumentar em função da conjuntura financeira actual.

O projecto, segundo Manuel da Cruz Neto, contempla a construção de 31 supermercados Nosso Super, 28 dos quais já erguidos e distribuídos pelas 18 províncias de Angola e mercados municipais.

Entre outros empreendimentos, continuou o coordenador, também constam do projecto a construção de 26 lojas de proximidade, quatro lojas pedagógicas (duas já estão construídas em Luanda e no Huambo), uma central de compras e Centros de Distribuição e Logística (CLOD), estando um já a funcionar em Luanda e outros prestes a ser concluído no Lobito (província de Benguela).

"Estão em construção, nesse momento, e alguns em fase de acabamento, cinco mercados municipais de grande dimensão, quatro foram já recuperados nas cidade de Benguela, Lobito, Huambo e Kuíto (Bié)".

De acordo com o vice-ministro das Finanças, as 26 lojas de proximidade já estão em construção e o processo de inauguração das mesmas iniciará em Abril deste ano com a abertura de três em Luanda. A perspectiva é inaugurar uma a duas lojas dessa rede por mês.

Disse também que está em construção o primeiro dos quatro entrepostos logísticos que deverá apoiar a rede de proximidade e também o fornecimento a algumas instituições públicas, no âmbito do sistema da rede de logística integrada.

"Estamos a montar uma central de compras que se ocupará das aquisições de todos os produtos de consumo para as lojas de proximidade e para as entidades públicas", afirmou.

Dois anos depois da criação do Presild, Manuel da Cruz Neto afirmou que "as infra-estruturas do programa vão mudar a face do comércio em Angola e que o principal objectivo do programa é melhorar a actividade e não imediatamente os lucros.

Salientou também que os projectos do Presild já implementados, nomeadamente, a rede Nosso Super, mercados municipais e lojas pedagógicas proporcionaram, em todo país, oito mil empregos.

"O balanço que se pode fazer actualmente do Presild é positivo e isso dá-nos a certeza de que estamos a caminhar para aquilo que será o futuro do desenvolvimento do comércio em Angola”.

O Presild foi criado por um Despacho Presidencial de 31 de Outubro de 2007, publicado no Diário da República I Série – n.º 130, que constitui o Grupo de Coordenação para a implementação do Programa de Reestruturação do Sistema de Logística e de Distribuição de Produtos Essenciais à População (Presild) – Nova Rede Comercial.

O objectivo básico da sua criação é a regularidade da oferta com a correspondente estabilidade nos preços dos produtos essenciais, a atenuação ou eliminação dos efeitos monopolistas no mercado dos produtos essenciais.

Fazem também parte dos objectivos do Presild, o apoio ao incremento da participação da produção interna na estrutura do consumo final, a garantia da venda regular de bens de consumo essenciais com mais qualidade e em melhores condições de higiene e salubridade e a gradual transformação do comércio informal que hoje se verifica num Comércio Formal e organizado.