O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) promete financiar, a partir de 2019, projectos locais integrados no sector agrícola, anunciou na última quarta-feira, na província do Huambo, o chefe da delegação daquela instituição bancária, Jean Marie.
No final de um encontro com a vice-governadora local para o sector político, social e económico, Maricel Capama, o responsável fez saber que serão priorizados projectos que integrem a produção agrícola, transformação industrial e comercialização.
Informou que o financiamento será extensivo às 18 províncias do país, confirmando estar em curso, com os governos provinciais, a discussão dos estudos de viabilidade realizados nos anos passados, para que se encontrem as estratégias adequadas para a implementação com
êxito dos referidos projectos.
A propósito, o director geral do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA), David Tunga, explicou que os projectos do BDA surgem dentro da parceria com o Ministério da Agricultura e Florestas, constituindo-se em factor indispensável para executar de forma intercalada as acções que permitirão desenvolver uma cadeia de valores no sector, no âmbito da diversificação da economia nacional.
Afirmou que os mesmos vão permitir o aumento da capacidade de produção da agricultura familiar, de comercialização e transformação dos produtos do campo, para se elevar a renda das famílias camponesas do país, visando o combate da fome e da pobreza nas comunidades.
Para o alcance dos objectivos desejados, segundo David Tunga, o ministério da Agricultura está a enquadrar, quer nesta fase de discussão dos resultados dos estudos desenvolvidos, quer na fase seguinte da elaboração dos projectos, técnicos de outros sectores, como da indústria, comércio, acção social, família e igualdade do género, juventude e desporto, para assegurar a abordagem transversal dos mesmos programas.