A folha de informaçãomensal do Instituto Nacional de Estatística (INE), a que o JE teve acesso, atesta que o Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN) registou, entre Maio e Junho, uma variação de 1,52 por cento.
As províncias que registaram maior aumento foram Zaire com 2,03 por cento, Cuando Cubango com 1,99; Benguela com 1,98; Cunene com 1,95 e Lunda Norte com 1,92.
Ainda, segundo a folha do INE, destacam-se também as províncias com menor variação como é o caso de Cabinda com 1,12 por cento, Huambo com 1,16; Bié com 1,18; Cuanza Sul com 1,23 e Bengo com 1,24.
A classe Saúde, com 3,96 por cento, foi a que registou o maior aumento de preços.
Há ainda a realçar os aumentos dos preços verificados nas classes bens e serviços diversos com 3,22 por cento, vestuário e calçado com 2,91 e mobiliário, equipamento doméstico e manutenção com 2,41.
A variação homóloga situa-se em 30,51 por cento, um registo de 0,79 pontos percentuais em aumento com relação a observada em igual período do ano anterior.
A classe alimentação e bebidas não alcoólicas foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços, com 0,58 pontos percentuais, durante o mês de Junho, seguida das classes bens e serviços diversos com 0,21; vestuário e Calçado com 0,19 e saúde com 0,17.
As restantes classes tiveram taxas inferiores a 0,17 pontos percentuais.
Por outro lado, o nível geral do Índice de Preços no Consumidor (IPC) da província de Luanda registou uma variação de 1,58 por cento durante o período de Maio e Junho. A classe “ Saúde” foi a que registou o maior aumento de preços com 4,38 por cento.
Destacam-se também os aumentos dos preços verificados nas classes “Bens e Serviços Diversos” com 3,25 por cento, “Vestuário e Calçado” com 3,00 e “Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção” com 2,62 por cento.

Variação homóloga

A variação homóloga situa-se em 31,89 por cento, registando um aumento de 0,09 pontos percentuais com relação a observada em igual período do ano anterior. Conforme os dados do relatório do INE, a classe “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços em Luanda, seguida de “ Bens e Serviços Diversos”, “Vestuári