O Índice de Produção Industrial (IPI) registou, no II Trimestre , uma variação negativa de 4,6 por cento com relação ao trimestre homólogo, influenciado pela diminuição na produção da “Indústria extractiva” em 6,6. As outras secções apresentaram variações homólogas positivas, conforme se segue: “indústria transformadora” com 9,6 por cento, “produção e distribuição de electricidade” com 12,9 e “captação, tratamento e distribuição de água e saneamento” com 1,4.
De acordo com o documento publicado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) na sua página, durante o II trimestre de 2017 observou-se uma variação positiva na actividade industrial de 1,4 por cento, comparativamente ao trimestre anterior. As secções que registaram maiores variações foram “indústria transformadora” com 13,4, “produção e distribuição de electricidade” com 11,6 e “captação, tratamento e distribuição de água e saneamento” com 9,1.
O índice de pessoas ao serviço, durante o II trimestre de 2017, registou um decréscimo de 4,2 com relação ao II trimestre de 2016 e um crescimento de 3,0 quando comparado com o I trimestre de 2017. O índice das horas trabalhadas registou, no mesmo período, uma variação homóloga negativa de 5,9 e uma variação trimestral positiva de 1,4, de acordo com o INE.
Analisando o IPI por tipo de bens, neste período, verifica-se que os “bens intermédios” apresentam maior crescimento em relação ao II trimestre de 2016, com uma variação de 20,5. Os “bens de consumo” e “produtos de energia” tiveram, no mesmo período, variações de 15,5 e -6,4 respectivamente.
Com relação ao I trimestre de 2017, por ordem de grandeza, registaram as seguintes variações: “bens intermédios” com 24,2, “bens de consumo” com 10,5 e “produtos de energia” com 0,1 por cento.