O Índice de Preços no Consumidor (IPC) registou uma variação de 1,20% , durante o período de Julho a Agosto de 2018.
A variação homóloga situa-se em 18,98%, registando um decréscimo de 7,97 pontos percentuais com relação a observada em igual período
do ano anterior.
A classe “Vestuário e Calçado” foi a que registou o maior aumento de preços com 1,87%. Destacam-se também os aumentos dos preços verificados nas classes “Bebidas Alcoólicas e Tabaco” com 1,72%, “Saúde” com 1,68% e “Hotéis, Cafés e Restaurantes” com 1,56%.
As províncias que registaram maior aumento foram: Bengo com 1,82%, Cuanza Sul com 1,75%, Malanje com 1,68%. As províncias com menor variação foram: Lunda-Sul com 0,70%, Namibe com 0,79%, Cabinda com 0,90% e Huila com 0,94%.

Indicadores de Julho
No mês de Julho, tendo como referência a província de Luanda, o Índice de Preços no Consumidor (IPC) registou uma variação de 1,23% durante o período de Junho a Julho de 2018. A variação homóloga situa-se em 19,51%, registando um decréscimo de 9,50 pontos percentuais com relação a observada em igual período do ano anterior.
A classe “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” foi a que mais contribuiu para a taxa de inflação do mês, com 0,53 pontos percentuais, seguida das classes “Vestuário e Calçado” com 0,17 pontos percentuais, “Bens e Serviços Diversos” com 0,15 pontos percentuais e “Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção” com 0,10 pontos percentuais.
As províncias que registaram maior aumento foram: Malanje com 3,11%, Bengo com 1,89%, Cunene com 1,75% % e Uíge com 1,58%.
As províncias com menor variação foram: Lunda-Sul com 0,76%, Cuando Cubango com 0,81%, Namibe e Cabinda com 0,88% cada.
Conforme os dados reportados pelo INE, em Junho, por exemplo, o Índice de Preços no Consumidor (IPC) registou uma variação de 1,16%, durante o período de Maio a Junho de 2018. A variação homóloga situa-se em 20,16%, registando um decréscimo de 11,73 pontos percentuais com relação a observada em igual período do ano anterior.
A classe “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” foi a que mais contribuiu para a taxa de inflação do mês, com 0,51 pontos percentuais, seguida das classes “Vestuário e Calçado” e “Bens e Serviços Diversos” com 0,14 pontos percentuais cada, “Habitação, Água, Electricidade e Combustíveis” com 0,10 pontos percentuais e “Saúde” com 0,07 pontos percentuais.
As províncias que registaram maior aumento foram: Malanje com 2,63%, Bengo com 2,38%, Moxico com 1,92% e Cunene com 1,77%. As províncias com menor variação foram: Lunda-Sul com 0,77%, Namibe e Cuando Cubango com 0,86% e Cabinda com 1,00%.
O INE está, neste momento, a proceder a actualização dos dados das empresas. Actualizar os dados da sua empresa é uma vantagem. Prestar a informação sobre ela é um dever. Deve-se dirigir ao INE ou ao posto do SIAC mais próximo e actualize os dados da empresa.