O índice de preços no consumidor nacional (IPCN) registou uma variação de 2,39 por cento, durante o período de Setembro a Outubro de 2017.
As províncias que registaram maior aumento foram a de Luanda com 2,98 por cento, Lunda Sul 2,07, Lunda Norte 1,80, Cunene 1,77 e Bengo com 1,72 por cento. As províncias com menor variação foram as do Cuanza Norte 1,20, Zaire 1,33, Bié 1,34, Cabinda 1,38 e Cuando Cubango com 1,50 por cento respectivamente.
O sector da saúde com 5,06 por cento, foi a que registou o maior aumento de preços. Destacam-se também o aumento dos preços verificados nas classes de bens e serviços diversos com 4,03, vestuário e calçado com 3,85 e bebidas alcoólicas e tabaco com 3,17 por cento.
A variação homóloga situa-se em 26,25 por cento, registando um decréscimo de 12,44 pontos percentuais com relação a observada em igual
período do ano anterior.

Classes de despesa

A classe alimentação e bebidas não alcoólicas foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços, com 0,86 pontos percentuais durante o mês de Outubro, seguida das classes bens e serviços diversos com 0,28, vestuário e calçado com 0,27 e saúde com 0,23. As restantes classes tiveram taxas inferiores a 0,23.
Uma perspectiva de maior detalhe é oferecida pelo quadro abaixo, onde se apresenta a incidência inflacionária em Outubro de 24 produtos seleccionados do cabaz, com maior contribuição para a taxa de variação do IPCN que, no seu conjunto, representam cerca de 7 por cento do total, mas concentram cerca de 48,96 por cento da taxa global de variação do IPCN em Outubro de 2017.
Assim sendo, o nível geral do índice de preços no consumidor (IPC) da província de Luanda registou uma variação de 2,98 por cento durante o período de Setembro a Outubro de 2017.
A classe saúde foi a que registou o maior aumento de preços com 5,90 por cento. Destacam-se também o aumento dos preços verificados nas classes bens e serviços diversos com 4,47 por cento, vestuário e calçado com 4,41 e lazer, recreação e cultura com 4,04.
A variação homóloga situa-se em 28,96 por cento, registando um decréscimo de 11,08 pontos percentuais com relação a observada em igual período do ano anterior. No gráfico abaixo apresenta-se a tendência da variação homóloga de Outubro de 2013 a Outubro de 2017.

Contribuição por classes

A classe alimentação e bebidas não alcoólicas foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços em Luanda, seguida de bens e serviços diversos, vestuário, calçado e saúde.
Uma perspectiva de maior detalhe é oferecida pelo quadro abaixo, onde se apresenta a incidência inflacionária em Outubro de 24 produtos seleccionados do cabaz, com maior contribuição para a taxa de variação do IPC Luanda que, no seu conjunto, representam 10 por cento do total, mas concentram cerca de 52,82 por cento da taxa global de variação do IPC Luanda em Outubro de 2017.