O mercado angolano continua a manter níveis de liquidez atractivos, um factor que os bancos querem aproveitar ao máximo.

Segundo o presidente da Comissão Executiva do SBA, Luís Telles, o primeiro lançamento das obrigações, realizado no mercado secundário, foi bem recebido pelos investidores, “o que significa que o mercado angolano continua a manter níveis de liquidez atractivos”, afirmou.
Na ocasião, Luís Telles apelou os potenciais investidores, que actuam no mercado angolano, a seguirem o exemplo do seu grupo e a olharem para a Bolsa de Valores como uma fonte de financiamento e uma plataforma onde se pode financiar.
Apelo ao investimento
Por sua vez, o presidente da Comissão Executiva da Bodiva, Patrício Vilar, lembrou que a estratégia da Comissão do Mercado de Capitais (CMC), desenhada em 2012/2013, tem surtido efeito e transmite confiança para o lançamento, nos próximos tempos, do mercado de acções em Angola.
“É preciso, primeiro, o MBOP ganhar a confiança dos investidores, cumprindo com requisitos exigidos, no caso da dívida em relação às acções, para o surgimento do mercado de acções”, frisou.
Patrício Vilar considerou que o lançamento foi um passo decisivo, mas afirma que é preciso que Angola aproveite o número de empresas de referência e de dimensão de peso na composição do Produto Interno Bruto (PIB), para que as mesmas possam ir ao mercado de forma simultânea e atraírem capital suficiente.
“Se não existirem as empresas desta dimensão, dificilmente, o capital estrangeiro vai se movimentar para Angola, ao contrário, disse que por uma questão de “arrasto” todas as empresas poderão estar “na montra”, quando chegar o capital externo”, alertou.
Patrício Vilar apelou ao Banco Nacional de Angola, para a abertura da Conta Capital e para ele a vinda do capital externo é importante para a criação de empresas de grande dimensão.
“Hoje colocamos aqui uma pequena emissão, mas as empresas têm necessidades de valores muito altos para poderem fazer face às suas necessidades de investimento”,informou
O acto inaugural foi feito pelo ministro das Finanças, Archer Mangueira e de acordo com os dados apurados pelo JE, os títulos SB têm uma maturidade de três anos, a juros de 17 por cento ao ano e constitui uma primeira tranche do Programa de Emissão de Obrigações do SBA, cifrado em 9,5 mil milhões de kwanzas, aprovado este ano, pela Comissão do Mercado de Capitais.
O Standard Bank inaugurou, na passada sexta feira, o mercado de bolsa de obrigações privadas(MBOP), da Bodiva, com um montante de 4,7 mil milhões de kwanzas. Os títulos emitidos representam um momento histórico, por serem as primeiras obrigações corporativas cotadas em bolsa, em Angola.