Hoje, quarta-feira, Armando Manuel também encontra-se com o ministro do Desenvolvimento e Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, além de avistar-se com líderes empresariais, incluindo responsáveis de empresas angolanas que operam no Brasil.

Segundo o programa de trabalho, delegações técnicas de Angola e do Brasil vão trabalhar tendo em vista a ampliação da cooperação técnico-financeira.

Terça-feira, na companhia do embaixador de Angola no Brasil, Nelson Cosme, e do sub-secretário para África do Ministério brasileiro Das Relações Exteriores, Paulo Cordeiro, o ministro angolano recebeu de responsáveis da Empresa de Gestão urbana do Distrito Federal (Terracap) explicações sobre o projecto de urbanização da zona onde se localizará a Chancelaria Angolana.

No mesmo dia, visitou a Embaixada de Angola, onde salientou que o trabalho dos diplomatas angolanos tem de estar ao nível da cooperação entre Angola e o Brasil.

Por seu lado, o embaixador de Angola no Brasil, Nelson Cosme, informou ao mnistro das Finanças dos actuais níveis de cooperação com o Brasil e com os países sob a jurisdição da mssão diplomática angolana na América do Sul.

Na sgunda-feira, no Rio de Janeiro, o ministro tratou com uma delegação do Banco Desenvolvimento Económico e Social BNDES, chefiada pelo seu Presidente Luciano Coutinho, assuntos ligados à operacionalização das convenções financeiras assinadas entre Angola e o Brasil, bem como ao desenvolvimento da actividade do BNDES em África, particularmente, em Angola.

As autoridades do BNDES estão apostadas em desenvolver a sua actividade no continente africano e pretendem apresentar as relações com Angola como o paradigma para a sua actuação em África.

Acompanham o ministro das Finanças nesta sua visita de trabalho de cinco dias ao Brasil, a directora Nacional da Dívida Pública, Angélica Paquete, e o director do Instituto de Formação do Ministério das Finanças, José Cabalo Tanga.