O Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos (MIREMPET) realiza nos próximos dias 3, 7 e 10 de Outubro, em Luanda, uma série de eventos, através dos quais visa manter o processo de dinamização da economia nacional e da participação do sector mineral.
De acordo com o calendário a que o JE teve acesso, no dia três, isso na quinta-feira, a Agência Nacional de Petróleo e Gás (ANPG) faz o lançamento do concurso de licitação de blocos petrolíferos.
Já no dia sete, segunda-feira, deve acontecer mais um lançamento, no caso do concurso para minas, e no dia 10, quinta-feira, acontece então a primeira apresentação técnica do concurso para a construção da Refinaria do Soyo, na província do Zaire.
Todos estes eventos têm lugar numa altura em que o Mirempet procura implementar uma série de medidas de reeestruturação do perfil económico do sector mineral, anteriormente concentrado em poucas empresas e parceiros preferenciais a actuarem em favor do Estado e do mercado.
Tal cenário gerava monopólios e clientes elitistas, o que também reduzia a atractividade e entrada de novos investidores nos mais diversos segmentos.
Esta semana, o ministro de tutela, Diamantino Azevedo, reuniu-se com a ANPG e as empresas para aferir sobre a produção petrolífera nacional, que ao que consta tem sofrido quedas por força de paragens não programadas e consequente perda de produção.
O ministro reiterou no encontro em que estiveram a Total, Eni, BP, Esso, Equinor, e Sonangol PP, que o executivo estabeleceu no seu PDN 2018-2022 uma produção de petróleo cifrada em 1,6 milhão de barris/dia, que prevendo-se paragens que não reduzam a oferta interna do crude para valores abaixo de 1,49 milhão de barris dia.

“Control risks” reconhece melhoria

Angola faz parte da lista dos países africanos que registou aumento na pontuação de recompensa das maiores economias de África, fruto das reformas macroeconómicas, segundo especialistas da consultora Control Risks e da empresa de assessoria independente internacional Oxford Economics.
O relatório internacional, publicado esta semana, no âmbito da quarta edição do índice risco-recompensa de África (Africa Risk-Reward Index) das empresas Control Risks (ControlRisks.com) e Oxford Economics (OxfordEconomics.com), sublinha que os objectivos geopolíticos dos líderes africanos estão a ser apoiados por uma corrente de financiamento para o desenvolvimento, criando oportunidades e concorrência para o sector privado.

Sodiam premiada pela inovação

A Empresa Nacional de Comercialização de Diamantes de Angola foi recentemente reconhecida no Continente Africano como a terceira melhor organização na categoria de Inovação, no SAP Africa QualityAwards. No referido concurso, o primeiro lugar coube a City of Cape Town (ouro), enquanto a The Royal Swaziland Sugar Corporation (prata) ficou em segundo lugar. Para participação neste concurso, a ITGest, empresa internacional com presença em Angola, foi a entidade escolhida pela Sodiam para analisar, desenvolver e implementar as soluções SAP adequadas às necessidades específicas da sua actividade no domínio da comercialização de diamantes.