financeira de referência internacional Moodys anunciou, recentemente em Luanda, a manutenção da notação B3 ao Banco Económico para os depósitos em moeda nacional.
De acordo com um comunicado a que este jornal teve acesso, esta é a terceira avaliação que a agência Moodys realiza, como reflexo do compromisso com a transparência e rigor da actividade financeira desenvolvida pelo Banco Económico.
Para a atribuição do Rating B3, a Moodys realizou uma análise criteriosa da actividade e da robustez financeira do banco.
Foram referidos como factores determinantes para a manutenção desta notação, a estrutura de financiamento fortemente assente numa base estável de depósitos, bem como em métricas robustas quanto à liquidez, tanto em moeda local, quanto em divisas.
Por outro lado, a Moodys enalteceu as melhorias no Governance, bem como a estratégia e o posicionamento do modelo de negócio para fazer face aos desafios do contexto macroeconómico nacional.
Na reacção, o presidente da Comissão Executiva do Banco Económico, Pedro Cruchinho, disse que “a manutenção deste nível de notação representa um passo muito importante para a credibilidade e notoriedade desta instituição, uma vez que confirma a nossa solidez financeira e a nossa capacidade de gestão num contexto macroeconómico particularmente exigente.”
Anteriormente, o BFA recebeu, em Novembro, da Moodys a nota B3 em moeda nacional, tornando-se na terceira instituição financeira angolana, juntando-se ao Banco BAI e o Banco Económico, que também receberam a mesma classificação da agência internacional de notação.