As caixas automáticas, vulgo multicaixas, concedem, aos fins-de-semana, cerca de 15 mil milhões de kwanzas nas operações de levantamento, de acordo com uma reportagem publicada pelo portal Bancos de Angola citando fontes da Empresa Interbancária de Serviços (EMIS), que gere a rede.
A publicação refere que quanto as anomalias registadas no sistema, em regra, a resolução é automatizada e com cerca de 95 por cento de sucesso.
Sobre as transferências registadas, nos últimos três anos, retomando dados da Emis, avança que os indicadores mostram que triplicaram estas operações, o que revela uma forte preferência dos clientes pelos serviços.
Com o último aumento de valores de 40 para 50 mil, em duas operações de 25 mil kwanzas em cada, os clientes diminuem as enchentes nos balcões e começam a preferir este canal, que se assume como sendo mais cómodo e menos oneroso.
Dados de Janeiro a Abril dão conta que as transacções em ATMs registara uma subida de 204,9 milhões para 227,4 milhões de kwanzas.
As transferências via ATMs, iniciadas em 2006, vem registando de ano para ano uma evolução, tendo em 2016 atingido a cifra de quatro milhões 420 mil, quando em 2015 foram feitas dois milhões 340 mil.
As compras, realizadas a partir de terminais automáticos, registaram um aumento expressivo ao passar de 614,2 milhões de kwanzas em 2015 para 997,6 milhões em 2016.
As transacções em TPA passaram de 59 milhões 785 mil em 2015, para 83 milhões 846 mil em 2016.
A EMIS é uma sociedade anónima detida pelo Banco Nacional de Angola (BNA) e pelos bancos comerciais.