A equipa económica do Governo angolano apresentou no princípio de Janeiro de 2018, o Programa de Estabilidade Macro-Económica (PEM), de curto prazo, cuja implementação tem como objectivo principal, restaurar a estabilidade e sustentabilidade da economia nacional. Segundo o Governo, o processo de implementação necessitará de algum esforço para se colher frutos de uma economia mais competitiva num futuro próximo. Neste sentido, o Executivo quer assegurar a transparência e o diálogo sobre este importante instrumento para a economia.
A ideia é compartilhar mais sobre os desafios actuais, a forma em que estes serão resolvidos e a visão para o futuro.
O Executivo deve ter um papel de facilitador na economia, criando as condições para o crescimento, a competição aberta e a redução da desigualdade social.
Na óptica entendidos na matéria, é importante dar mais ênfase à iniciativa privada no desenvolvimento da economia, que deve estar entre as mais atractivas da região.
Para definir o seu Plano de Acção detalhado, logo após o início do mandato, o Executivo lançou um diagnóstico inicial, que apontou a existência de constrangimentos e desequilíbrios em diversos sectores da economia e oportunidades para o Executivo agir de forma imediata a fim de iniciar a redução ou eliminação dos desequilíbrios.
Após o diagnóstico inicial, o Executivo lançou o Plano Intercalar (PI) para dar sequência imediata às reformas.
Ao mesmo tempo, foi iniciado um processo de diagnóstico mais detalhado.
Para este processo, liderado pelo ministro de Estado para o Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior, o Executivo reuniu os principais interlocutores do Executivo no que toca à gestão da política macroeconómica. Siga as incidências do PME.


Entenda os termos económicos

OGE
O Orçamento Geral do Estado é uma previsão das receitas e despesas anuais do Estado. Engloba o montante e a discriminação das despesas a efectuar, bem como a forma de as cobrir.

DÉFICE
Resultado negativo a partir da diferença entre aquilo que se ganha (receita) e aquilo que se gasta (despesa).

SUPERÁVITE
Resultado positivo a partir da diferença entre aquilo que se ganha (receita) e aquilo que se gasta (despesa).

SALDO ORÇAMENTAL
Reflecte a capacidade ou necessidade que o Governo tem de financiamento do sector público. Quando o saldo é negativo há a necessidade de endividar-se.

DÍVIDA PÚBLICA
É a dívida contraída pelo Governo com entidades financeiras ou pessoas da sociedade para financiar parte dos seus gastos que não são cobertos com a arrecadação de impostos.

PRODUTO INTERNO BRUTO (PIB)
É a soma, em valores monetários, de todos os bens e serviços finais produzidos numa determinada região durante um período.

PIB PER CAPITA
PIB per capita é o produto interno bruto dividido pela quantidade de habitantes de um país.

MACROECONOMIA
Estudo da determinação e do   comportamento dos grandes agregados, como PIB, consumo nacional, investimento agregado, exportação e nível geral dos preços.

MICROECONOMIA
Estudo do comportamento de consumidores e produtores em mercados específicos,   preocupando-se como são determinados os preços e as quantidades dos bens e serviços nesses mercados.

RESERVAS OBRIGATÓRIAS
Parcela dos depósitos à vista que os bancos comerciais são obrigados legalmente a reter no Banco Central. Também são chamadas depósitos ou encaixes   compulsórios ou simplesmente compulsório.

TAXA DE CÂMBIO VARIANTE
Taxa de câmbio que varia conforme a oferta e a demanda de divisas. É a taxa de equilíbrio do mercado de divisas.