Mais de mil imóveis inacabados, edifícios, estaleiros e terrenos localizados na urbanização Vida Pacífica (Zango Zero) e no Kilamba, construídos com fundos públicos e que se encontravam na posse de empresas chinesas, foram apreendidos segunda-feira, conforme notificação da Procuradoria-Geral da República (PGR). O comunicado da PGR informa que a apreensão dos imóveis manter-se-á, enquanto decorrer o processo-crime, no âmbito da recuperação de activos do Estado. “Os imóveis que se encontravam na posse das empresas China International Fund (CIF), Limited (CIF Hong Kong) e China International Fund Angola (CIF, Limitada), terão como fiel depositário o Ministério do Ordenamento do Território e Habitação”, indica o documento.
A lista dos bens apreendidos, a pedido do Serviço Nacional de Recuperação de Activos, inclui 24 edifícios, duas creches, dois clubes náuticos, três estaleiros de obras e respectivos terrenos adjacentes, numa área total de 114 hectares, na urbanização Vida Pacífica (Zango Zero), município de Viana, em Luanda.
Igualmente, da mesma lista fazem parte 1.108 imóveis inacabados, 31 bases para a construção de edifícios, 194 bases para a construção de vivendas, um estaleiro e respectivos terrenos adjacentes, numa área total de 266 hectares, no Distrito Urbano do Kilamba, município de Belas, em Luanda.
O comunicado da Procuradoria-Geral da República dá conta que as apreensões se enquadram num processo-crime que tramita na Direcção Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP), mas não dá mais pormenores sobre essas investigações. A CIF Limited é uma multinacional privada chinesa com sede em Hong Kong e escritório em Pequim, fundada em 2003, para financiar projectos de reconstrução nacional e desenvolvimento de infra-estruturas nos países em desenvolvimento, principalmente em África.