Segundo fez saber o comandante daquele organismo, a moeda era levada, ilegalmente, para região de Bóma, República Democrática do Congo (RDC).

O intendente Manuel Calhão “Salva-Vidas” disse que os valores eram transportados por um cidadão congolês democrático de forma ilegal dentro de um bidão vazio com capacidade para 20 litros de cor amarela, onde estavam escondidos em sete volumes embalados em sacos de plásticos com recurso a fita-cola.
O dinheiro foi apreendido por não ter sido declarado, violando o artigo 19º da lei nº5/97, combinado com o aviso nº1 do Banco nacional de Angola (BNA).
“Trata-se da violação do artigo 19º da lei nº5/97 combinado com aviso nº1 do Banco Nacional de Angola (BNA) que estabelece que os cidadãos nacionais residentes podem viajar para exterior com valor monetários até 10 mil dólares e 50 mil kwanzas em moeda nacional. É assim que no posto fiscal do Kimbamba surpreendemos uma embarcação que tinha destino a RDC, concretamente no Bóma”, acrescentou.
Manuel Calhão “Salva-Vidas” disse que o dinheiro foi reembolsado ao BNA, através do BPC no Soyo.