À entrada dos habituais supermercados em que levantamos os preços semanais, nestes dias, os produtos promocionais são os que dão a cara.
Por opção ou estratégia de marketing, o posicionamento das prateleiras ou frutarias seguem sempre a lógica do que atrai facilmente os olhos.
Numa semana em que continua a ser as promoções e baixas de preços dos produtos as que mais ressaltam, os clientes demonstram certa normalidade, uma vez que conseguem comprar mais com menos dinheiro.
Aliás, a corrida às compras, por estes dias, um pouco a ressentir da fraca circulação da massa monetária, está mais tranquila.
Ainda assim, nos tradicionais supermercados de levantamento e sugestão do “Hora das Compras” assiste-se a presença de agentes informais à entrada, ora em sinal de algum produto em baixa disponibilidade, ora em sinal de que há mesmo escassez deste ou daquele bem de produra regular.
Contudo, consulte a nossa tabela, compare e boas compras.

IPC de agosto mostra maior aumento no moxico

O índice de preços no consumidor nacional (IPCN) registou uma variação de 1,59 por cento, durante o período de Julho a Agosto de 2017. A província do Moxico foi a que registou o maior aumento de indice de preço com 2,20 por cento, segundo a folha de informação rápida do Instituto Nacional de Estatística (INE).
De acordo com o instituto, Cunene com 2,11 por cento, Cuando Cubango com 2,03, Namibe com 2,00 e Lunda Sul com 1,90 seguem-se por essa ordem nas principais variações.
No que se refere às que tiveram menor variação, a Huíla com 1,12 por cento, Huambo com 1,21, Bié com 1,35, Cabinda com 1,39 e Lunda Norte com 1,55 por cento preenchem a lista.
A classe “Vestuário e calçado”, com 3,11 por cento, foi a que registou o maior aumento de preços. Destacam-se também o aumento dos preços verificados nas classes, “Bens e serviços diversos” com 3,09, “Bebidas alcoólicas e tabaco” com 3,00 e “Saúde” com 2,86 por cento respectivamente.
De acordo com os dados do INE, a variação homóloga situa-se em 25,18 por cento, registando um decréscimo de 11,59 pontos percentuais com relação a observada em igual período do ano anterior. A classe “Alimentação e bebidas não alcoólicas” foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços, com 0,58 pontos percentuais durante o mês de Agosto, seguida das classes, vestuário e calçado e bens e serviços diversos com 0,21 pontos percentuais cada e mobiliário, equipamento doméstico e manutenção” com 0,19 pontos percentuais. As restantes classes tiveram taxas inferiores a 0,19 pontos percentuais.