No mercado formal e no informal há inúmeras alternativas, talvez a mudança do que consumir seja uma boa arma contra os especuladores, que estão sempre à espreita em busca de oportunidades de lucro fácil, enquanto uns correm de cima a baixo para adquirir este ou aquele produto.Na ronda desta semana efectuada pelo JE nos principais estabelecimentos comerciais da capital, entre mercados formais e informais, constatou-se que alguns produtos alimentares como o arroz, óleo alimentar, feijão massa alimentar, trigo e outros registaram um aumento nos preços na última semana no mercado informal.

No conhecido mercado da Paz, localizado no Calemba-2, distrito de Talatona, por exemplo, o quilo de arroz está a ser comercializado a 350, contra os 300 kwanzas de antes, o pacote de massa alimentar de 125 está a 150.
Ainda no mesmo mercado, o quilo de feijão catarina está a ser comercializado ao preço de 650, contra os 450 anteriores, já o feijão manteiga está a custar 800 contra os 600 kwanzas de antes, a fuba de bombó custa 250 agora e 150 antes.
No Golf2, os preços também variam consoante a marca. Assim, o quilo de fuba de bombó, por exemplo, está a ser comercializado a kz 300, contra os 250, o feijão catarina custa 800 kwanzas.
Constatou-se também a subida do arroz, açúcar óleo alimentar,carne, leite e outros.
A lista de bens e serviços pertencentes ao Regime de Preços Vigiados foi publicada a 15 de Fevereiro de 2016, através do Decreto Executivo n.º 62/16, e inclui um conjunto de 30 produtos, como o arroz, banana, batata-rena, batata-doce, carne fresca, carne seca, farinha de trigo, feijão, frango, fuba de bombó, fuba de milho, leite em pó, massa alimentar, óleo de palma, óleo de soja, pão, peixe, sal, sabão, alface, alho, tomate, cebola e cenoura.