O custo de produção do café robusta ronda aos 146 mil kwanzas por hectare, resultando num custo de 562 kwanzas por quilograma.
De acordo com o estudo sobre o sector do café feito por uma entidade indiana, o país produz por cada hectare cerca de 260 quilogramas, quantidade considerada baixa,se comparado com países como Vietname, Uganda e Índia que produzem 3.000, 800 e 2.000 quilogramas por hectare, respectivamente.
O estudo foi apresentado recentemente, em Luanda, num fórum realizado pelo Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), para promover o incentivo à produção de café arábica nas províncias do Norte e Sul do país.
O mesmo concluiu que a maior parte do solo do território nacional reúne condições propícias para o cultivo do café, com condições climatéricas favoráveis, sendo que 11 das 18 são consideradas mais potenciais.
“As outras podem ser aprimoradas tanto para o café arábica ou robusta. Foram identificas muitas áreas que cumprem com esses cenários estabelecidos com qualidade dos solos e da água para irrigação”, disse Mandhu Bopanna, chefe da entidade que realizou o estudo em referência.
Para a revitalização do sector cafeeiro, que nos últimos anos tem estado à margem picos alcançados nos anos 70, o estudo concluiu que será necessário apostar promoção de organização de fazendeiros produtores, na formação de centros de contratação personalizada, bem com a adopção de técnicas de adaptação integrada, para que as pessoas e o sector se tornem mais potencializadas.
Em 1973, Angola tinha 500 mil e 300 hectares de café. Em 2017, 15 mil e 415 hectares de produção, obtendo mais de seis mil toneladas métricas. A produtividade em 1973 era quatro mil e 400 kg e em 2017 era apenas de mil e 700 kg por hectare.

BDA
Na ocasião, o administrador do BDA, Ângelo Filipe, apontou como causas da fraca produção de café em Angola a falta de adubos, mão-de-obra especializada, de financiamento, de pesquisa e de dados analíticos sobre a produção.
“Por isso o interesse do BDA em desenvolver projectos de incentivo à produção de café em Angola para recuperar os níveis atingidos anteriormente e assim contribuir no desejo de diversificação da economia que o país almeja”
O café é o segundo produto mais comercializado a nível do mundo e por vários factores os preços de café têm sido os mais baixos durante os últimos 30 anos, mas nos últimos dois meses regista-se uma tendência crescente no mercado internacional, segundo dados.
A indústria do café rende 200 mil milhões de dólares por ano e o seu comércio envolve 25 milhões de produtores que até ao momento obtêm apenas 20 mil milhões dos 200 mil milhões envolvidos.