O Banco Nacional de Angola (BNA) vai, de Novembro deste ano a Janeiro do próximo, retomar a campanha de educação financeira às populações, para permitir que os actuais níveis de bancarização (23 por cento em finais de 2012) possam ser elevado acima dos 30.

A estratégia de educação financeira e a bancarização da população angolana, o papel da educação financeira e da bancarização para o desenvolvimento económico e os desafios de médio prazo para a economia nacional figuram entre os temas a abordar, no âmbito da estabilidade financeira.

Segundo uma nota de imprensa distribuída pela direcção regional Sul (Benguela e Kwanza-Sul), assinada pelo delegado, Luís Henrique da Silva, o BNA constata haver dificuldades no acesso aos serviços bancários, devido ao desconhecimento da utilidade e funcionamento do sistema bancário.

Principais constrangimentos
A situação é agravada, em grande parte, pela falta de documentos de identificação pessoal, baixos rendimentos face aos valores exigidos para abertura e manutenção de contas, bem como a limitada presença da rede no interior do país, diz o responsável bancário.

Por estas e outras razões, acrescenta, o BNA “entende que a educação financeira é um factor determinante no aprofundamento e estabilidade do sistema financeiro, pelo que atribui crescente importância às iniciativas de promoção dos níveis de informação financeira, envolvendo-se na definição e implementação de estratégias a nível nacional para a inserção consciente da população no sistema”.

Isso, sublinha o documento do banco central, estimula a poupança, liberta e permite libertar fundos para o investimento, caminhando para a pretendida formalização da economia, daí a necessidade de se empreender uma campanha de educação a decorrer de 5 de Novembro próximo a 31 de Janeiro de 2014, com vista a atingir-se resultados satisfatórios, sustentou.

Instituições parceiras
No território da delegação regional Sul do Banco Nacional de Angola (Benguela e Kwanza-Sul), o documento aponta o concurso da Universidade Katyavala Bwila e o núcleo provincial da Associação de Escuteiros de Angola para disseminar a informação necessária nas igrejas, unidades militares, policiais, institutos médios, universidades, paragens de taxis e outros locais de maior concentração populacional, em todos os municípios e comunas da jurisdição regional.

Das actividades formais previstas nas duas províncias, destaque para 32 palestras a serem realizadas em instituições de ensino superior, médio, praças ou mercados, que deverão versar sobre diversas matérias inseridas no programa educativo-financeiro.

Nas palestras, os prelectores vão abordar “A importância dos meios financeiros”, “O papel  do BNA enquanto supervisor das instituições financeiras”, o “Impacto da utilização dos serviços financeiros na vida do cidadão”, e “ O BNA, enquanto entidade emissora da moeda nacional, o Kwanza”.

O programa, que através da oferta do “bankita crescer” permite a abertura de contas com 100 kwanzas e qualquer documento de identificação pessoal (cédula, cartão eleitoral, de residente e etc), foi responsável pela subida dos níveis de bancarização, entre 2010 a 2012, passando de 11 a 23 por cento.