A venda de 1,2 milhão de quilates ao preço de 133,33 dólares em Abril representou mais de 90 por cento acima da arrecadação de Março.
De acordo com os dados do Ministério dos Recursos Minerais e Petróleo, a receita diamantífera no mês de Abril cifrou-se em 4.110 milhões de kwanzas (equivalente a 12,1 milhões de dólares), quando os dados publicados deram conta de um valor de 2.114 milhões de kwanzas (6,2 milhões de dólares).
Os valores de Março resultaram da venda de 606 mil quilates em igual preço de 133,33 dólares. Os dados foram publicados pelo Ministério das Finanças, na sua página de internet.
O imposto industrial da venda de diamantes em Abril foi de 2,7 mil milhões de kwanzas, acima de 1,4 mil milhões do mês de Março. Já a Royalty (imposto devido ao Estado pelas empresas estrangeiras por explorar recursos em território daquele), em Abril foi de 1,3 mil milhões de kwanzas bem acima dos 704 milhões de Março.
Recentemente, dados do Ministério dos Recursos Minerais e Petróleo (MIREMPET) deram conta de, no I Trimestre, ter-se registado um aumento de 106.5 milhões de dólares (40,7%) face aos dos primeiros três meses de 2018.
As estatísticas do sector disponibilizadas referiam que 94,6 por cento da oferta de diamantes (2.5 milhões de quilates) são de origem kimberlítica (rocha que contém diamantes) e 143 mil quilates, de origem aluvionar (terreno formado por depósito de matérias orgânicas e inorgânicas deixado pelas águas).
No I trimestre, a Lunda Sul liderou com 93,6 por cento e as restantes 6,4 da Lunda Norte.
No Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN 2018-2022) a meta fixada é de a produção nacional atingir a meta de 14 milhões. Neste momento a produção ronda os nove milhões de quilates.