O número de instituições bancárias na província do Moxico está a registar um crescimento significativo possibilitando cada vez mais as actividades comerciais dos agentes económicos e o crescimento sustentável da região. Dos nove municípios que compõe a província do Moxico, oito já dispõem de agências bancárias facilitando assim as operações dos funcionários públicos e de outros agentes económicos nas transacções financeiras. Com os serviços bancários a funcionar em cada um destes municípios, a população local já não percorre longas distâncias nem permanecem várias horas diante dos balcões. Assim, as instituições de crédito como o Banco de Poupança e Crédito (BPC) e o Banco Internacional de Crédito (BIC), são as que têm maior representação física em termos de agências a nível da região.

Desenvolvimento económico

O crescimento da rede bancária na província, além de contribuir para a elevada taxa de bancarização da população, tem incentivado os munícipes a criar uma cultura financeira, quer nas poupanças pessoais, quer nos empréstimos bancários, o que tem contribuído sobremaneira no aumentar do volume de recursos disponíveis das instituições.

As políticas de gestão e de expansão de serviços bancários levado a cabo pelos bancos fez com que as empresas deixassem de proceder ao pagamento dos ordenados por intermédio de folhas de salários, permitindo desta forma maior mobilidade dos fluxos financeiros no circuito monetário local.

Em declarações ao JE, o economista Hélder Cahilo, disse que a banca é um dos sectores onde existe uma maior interdependência e cruzamento entre interesses empresariais.

Por isso, assegura que os resultados das operações bancárias, começam a justificar o nível de prioridade e atenção que este mercado merece por partedecisores bancários e vai-se reforçando o nível de oportunidades para as famílias principalmente no desenvolvimento do sector agro/pecuário.

“Quanto maior o número de pessoas bancarizadas na província, haverá maior possibilidade de absolver os problemas económicos nas famílias, através das políticas financeiras de cada banco. Por isso, as instituições bancárias, devem dinamizar o desenvolvimento económico e transformar a poupança nas comunidades num instrumento de financiamento à actividade económica.”. Disse.

Hélder Cahilo acrescentou ainda que a banca exerce um papel fundamental de sustentabilidade para qualquer economia, numa visão de boas perspectivas de crescimento.

Assegurando que a província do Moxico tem vindo a registar um forte crescimento na expansão da rede bancária e tem facilitado as transacções financeiras das famílias, empresas, Governo e empreendedores.

Incentivos
Para o nosso entrevistado, a iniciativa de investimento dos bancos, tanto do capital privado como do Estado, vai proporcionar um papel fundamental como intermediário financeiro e os seus produtos com a concepção de créditos que são aplicados através de taxas activas.

Hélder Cahilo disse ainda que, os bancos surgem para conceder empréstimos às pequenas, médias e grandes empresas, com vista a melhorar e aumentar o volume de negócios dos empreendedores, bem como o crédito de consumo para maximizar o bem-estar das famílias.

“Os bancos são instituições que velam pela manutenção das actividades comerciais por via de oferta de serviços financeiros, facilitando as transacções de pagamento e créditos aos agentes económicos, contribuindo no crescimento comercial da sociedade.”

Segundo o economista, a banca só aparece em situação que haja estabilidade económica, pois, o desenvolvimento de qualquer sociedade não depende somente do Estado, apesar de ser o grande impulsionador da actividade económica.

O economista realçou também que o crédito agrícola incrementado pelo Executivo através dos bancos comerciais, surge para melhorar o nível de rendimento das famílias camponesas e contribuir na erradicação da fome e da pobreza na região.
Por isso, apelou as famílias a cultivarem o hábito de guardar o dinheiro nos bancos para evitarem os riscos e facilitar o Estado a controlar o índice de inflacção no país.

“Os bancos, a nível da região, têm de continuar a sensibilizar a população para a abertura de contas bancárias e devo louvar a iniciativa do Banco Nacional de Angola (BNA) pelo facto de ter criado políticas de abertura de contas com apenas 100 kwanzas, a denominada “bankita”, no âmbito do programa de educação financeira.

De realçar que a província do Moxico conta actualmente com 21 agências bancárias. O BPC com 12 balcões, BIC com três, BCI, Millennium, Atlântico, BFA, Banco Sol e o BAI todos com uma agência cada, estando ainda em construção na cidade do Luena, uma agência do Banco Espírito Santo Angola (BESA) e duas agências do BCI nos municípios do Luau e Cameia.