As reformas que Angola tem vindo a implementar em vários sectores da economia, com realce no subsector dos diamantes estão a despertar interesse de muitos investidores estrangeiros, principalmente belgas.
O facto foi confirmado pelo embaixador da Bélgica em Angola, Jozef Smets.
O diplomata manifestou tal intenção na 1ª Conferência e Exposição Internacional sobre o sector Mineiro, que decorreu em Luanda nos dias 20 e 21 do mês em curso.
Segundo um documento a que o JE teve acesso, na audiência com o Presidente da República, João Lourenço, o líder da AWDC, uma das mais prestigiadas empresas do ramo, Nishit Parivih disse que, as empresas belgas estão interessadas em firmar parcerias sólidas com as firmas angolanos do ramo diamantífero.
Jozef Smets disse que o seu país reconhece os feitos da transparência na indústria diamantífera em Angola.
“O país tem feito várias reformas no sector nos últimos tempos. Sei que os dois presidentes trocaram informações de como vai evoluir o sector dos diamantes e como a Antuérpia pode apoiar essas mudanças em Angola” disse o diplomata.
Segundo o embaixador, um dos temas centrais do encontro foi a intenção da entrada de investidores belgas na exploração de diamantes.
O diplomata adiantou que o seu país está disposto a oferecer recursos e equipamentos para ajudar a modernizar o sector em Angola. Bélgica e Angola são membros do Processe Kimberley e ambos trabalham para a transparência no sector dos diamantes.
A nova política de comercialização de diamantes adoptada pelo Governo representa um passo rumo à transparência.
A Bélgica é o segundo destino das Exportações da produção de Diamantes brutos de Angola. P