Dados do Banco Nacional de Angola (BNA) posicionam as Reservas em 10,3 mil milhões face ao mês de Abril. Trata-se do segundo valor mais baixo nos últimos anos.
Em relação a Dezembro de 2018, as RIL observaram uma queda de 354 milhões, uma quebra média mensal de 71 milhões; no mesmo período de 2018, a quebra média mensal era de 162 milhões de dólares.
A importação de bens alimentares é o principal consumidor das reservas nacionais.
Por exemplo, no I trimestre, mais de quinhentos e oitenta e três milhões de dólares foram disponibilizados pelo Banco Nacional de Angola (BNA), para a importação de bens alimentares, recursos financeiros que exercem um peso significativo sobre as reservas
internacionais líquidas.
Para a importação de bens e serviços, o Banco Central disponibilizou igualmente 198,1 milhões de dólares, valores considerados elevados tendo em conta a tendência de declínio das reservas internacionais líquidas.
As Reservas Internacionais Líquidas (RIL) de Angola baixaram 7,3 mil milhões de dólares no período de um ano, ao passar de 20,8 mil milhões de dólares para 13,5 mil milhões de dólares entre Dezembro
de 2016 e Dezembro de 2017.