As Reservas Internacionais Líquidas contraíram no mês em 6,64 por cento, situando-se em 13.299,71 milhões de dólares.
A informação consta do comunicado final saído da recente reunião do Comité de Política Monetária do Banco Nacional de Angola (CPM/BNA).
O CPM analisou a evolução dos indicadores relativos à economia nacional com realce para os Sectores Real, Fiscal, Monetário e Externo, bem como o comportamento da economia internacional.
Foi prestada particular atenção à evolução dos preços na economia nacional, tendo-se observado um ligeiro aumento no indicador mensal e redução em termos homólogos.

Economia Monetária
No mês de Dezembro de 2017, a taxa de inflação mensal, medida pelo Índice de Preços no Consumidor Nacional, publicada pelo Instituto Nacional de Estatística, foi de 1,20 por cento, contra 1,04 por cento no mês anterior e 2,04 por cento em Dezembro de 2016. Assim, a inflação dos últimos doze meses situou-se em 23,67 por cento, contra 24,70 por cento no mês anterior e 41,12 por cento no período homólogo de 2016.
O Índice de Preços no Consumidor das províncias de Luanda, Benguela, Cabinda e Huila registou uma variação de 1,13 por cento, 1,64 por cento, 1,19 por cento e 1,25 por cento, respectivamente, no período de Novembro a Dezembro de 2017.
O agregado monetário que congrega a totalidade dos depósitos bancários e as notas e moedas e poder público, denominado de M2, aumentou 2,04 por cento em Dezembro de 2017 e diminuiu 0,10 por cento nos últimos 12 meses.
Em Dezembro de 2017, a Luibor Overnight fixou-se em 17,77 por cento ao ano. O crédito à economia aumentou 2,35 por cento, enquanto o Crédito Bruto ao Governo Central (titulado e não titulado) aumentou 4,14 por cento.
No Mercado Cambial primário, a taxa de câmbio média do Kwanza face ao dólar norte-americano foi de 165,92.
Em Dezembro, os bancos comerciais compraram 892 milhões de dólares norte-americanos, dos quais 689 milhões ao BNA e o remanescente aos seus clientes, o que comparativamente ao mês anterior representou um aumento de 3,84 por cento e em termos
anuais de quatro por cento.
Na sequência da análise efectuada à evolução dos principais indicadores macroeconómicos e, tendo em atenção as mudanças em curso no quadro das políticas económicas, para fazer face aos desafios de 2018, o Comité de Política Monetária (CPM) decidiu manter a Taxa Básica de Juro - Taxa BNA – em 18 por cento, ao ano; manter a Taxa de Juro da Facilidade Permanente de Cedência de Liquidez (Overnight) em 20 por cento, ao ano; manter não remunerada a Facilidade Permanente de Absorção de Liquidez (Overnight) e manter o Coeficiente das Reservas Obrigatórias sobre os depósitos em moeda nacional em 21 por cento.