As Reservas Internacionais Líquidas (RIL) situaram-se, em 2019, em 11,84 mil milhões de dólares, o que representou um aumento de 11,19% face ao ano anterior, cenário de aumento anual de reservas que não ocorria desde 2013.
De acordo com o Comité de Política Monetária do Banco Nacional de Angola (CPM), registou-se no ano passado uma acumulação tanto das Reservas Internacionais Brutas (RIB) como das Reservas Internacionais Líquidas (RIL). As RIB situaram-se em 17,34 mil milhões de dólares em Dezembro de 2019, contra 16,17 mil milhões no ano anterior (+7,22%), representando um grau de cobertura de importações de bens e serviços de 8,45 meses.
Já no mercado cambial, em termos acumulados, no ano de 2019, o BNA vendeu 9,35 mil milhões de dólares, contra 13,47 mil milhões no período homólogo, o que representou uma diminuição de 30,58%. No mês de Dezembro de 2019, vendeu-se ao mercado um montante total de 844,66 milhões.
Como resultado das medidas de política cambial adoptadas no ano de 2019, observou-se uma melhoria significativa no acesso à moeda estrangeira por empresas e cidadãos, por um lado, e, por outro, à redução do diferencial entre a taxa de câmbio do kwanza face ao dólar dos EUA entre os mercados primário e informal. O diferencial cambial passou de 150,62% aquando da implementação do regime cambial por bandas, para 22,97% em Dezembro de 2019, abaixo do diferencial observado em 2018 (28,26%).
A taxa de câmbio de referência no mercado primário em Dezembro de 2019 fixou-se em 482,23 USD/Kz correspondendo a uma depreciação no ano de 36%, inferior à ocorrida no ano anterior que foi de 46,23%.
No mês de Dezembro, o Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN) divulgado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) apresentou uma variação de 1,91%. A inflação anual manteve a trajectória de desaceleração, tendo-se fixado em 16,9%, atingindo o nível mais baixo desde 2015 (12,09%).
Relativamente ao Índice de Preços no Consumidor da província de Luanda, registou uma inflação acumulada no ano de 17,06%, uma redução de 1,15 p.p. face ao ano anterior (18,21%).
Constata-se a manutenção do processo desinflaccionista que permitiu o alcance do objectivo da inflação anual, não obstante o aumento da tarifa de energia eléctrica, a introdução do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) e do Imposto Especial de Consumo (IEC), bem como da depreciação cambial ocorrida particularmente no último trimestre de 2019.
A variação anual do Índice de Preços Grossista (IPG) foi de 18,92%, superior à registada no ano anterior (16,86%).
Note-se que a variação do IPG dos produtos nacionais mantém-se acima da variação dos produtos importados, cenário que ocorre desde meados de 2018.

Stock do crédito  foi calculado
em kz 3,35 biliões

Em 2019, o stock do crédito em moeda nacional registou uma expansão acumulada de 18,83%, tendo atingido o stock de 3,35 biliões de kwanzas.
No âmbito dos Avisos nº 4 e 7/19, do total dos novos créditos e créditos reestruturados que foram aprovados, registou-se desembolsos de 62,11 mil milhões de kwanzas.
Em Dezembro de 2019, a Base Monetária em moeda nacional, variável operacional da política monetária situou-se em 1,59 biliões de kwanzas, registando uma variação anual de 22,21%.
O agregado monetário M2 em moeda nacional, que congrega a totalidade dos depósitos bancários em moeda nacional e as notas e moedas em poder do público, registou uma variação nos últimos 12 meses de 14,45%, fixando-se em 4,85 biliões de kwanzas.
Em Dezembro, no mercado monetário interbancário, foram transaccionados 607,09 mil milhões de kwanzas, representando um aumento de 175,84 mil milhões (40,77%) face ao período anterior. A Luibor na maturidade overnight situou-se em 22,48%, o que representou uma diminuição face a Novembro de 2019 (26,47%).
Neste contexto, procurando manter o curso de estabilidade de preços na economia e apoio ao regime cambial adoptado, a política monetária permanecerá restritiva, pelo que o CPM decidiu manter a taxa básica de Juro, Taxa BNA, em 15,5%; as taxas de juro das facilidades permanentes de absorção de liquidez, com maturidades overnight e sete dias em 0% e 10%, respectivamente e manter em 22% e 15% os coeficientes de reservas obrigatórias para moeda nacional e estrangeira, respectivamente.
A reunião do CPM visou analisar o comportamento recente dos principais indicadores económicos e decidir sobre as taxas directoras.