O Comité de Política Monetária do Banco Nacional de Angola (CPM/BNA) reuniu, nesta semana, na sua trigésima segunda sessão ordinária, a quinta do ano de 2014, com vista à tomada de medidas de política monetária que concorram para a manutenção da estabilidade de preços na economia nacional.

No encontro, foi analisada a evolução da inflação, da economia real, das contas fiscais e monetárias, bem como a informação recente sobre a conjuntura económica internacional, incluindo a da região SADC. A análise foi feita com base numa informação referente ao mês de Abril de 2014.

Evolução monetária
O comunicado do BNA avança que, no mês de Abril, a taxa de inflação mensal foi de 0,51 por cento, inferior à do período homólogo de 2013 em 0,09 pontos percentuais. A inflação dos últimos doze meses situou-se em 7,22 por cento.

A classe “bens e serviços diversos” com 1,04 por cento, foi a que mais variou, enquanto a de “alimentação e bebidas não alcoólicas”, com 0,21 pontos, foi a que mais contribuiu para a inflação registada no mês.

A luibor overnight situou-se em 3,10; 7,43 e 9,53 por cento ao ano, nas maturidades de 3 e 12 meses, respectivamente.

O crédito à economia atingiu um stock de 3.083 mil milhões de kwanzas, tendo em Abril crescido 2,25 por cento.

Em Abril, os bancos comerciais adquiriram divisas no valor de 2.076 milhões de dólares no mercado cambial.

De Janeiro a Abril de 2014, o volume total de venda de divisas no mercado cambial foi de 9.888 milhões de dólares, face aos 5.445 no período homólogo de 2013.

Já no mercado cambial primário, a taxa de câmbio média de referência manteve-se estável, tendo-se situado em 97,88 kwanzas por dólar norte-americano.

Decisões monetárias
Da análise efectuada à evolução recente e às perspectivas para a economia angolana, o Comité de Política Monetária decidiu manter a taxa básica de juro - taxa BNA, em 9,25 por cento ao ano. Decidiu, igualmente, manter a taxa de juro da facilidade permanente de cedência de liquidez em 10 por cento ao ano.

Outra medida tomada pelo BNA, que constou de entre as decisões finais da reunião do comité, foi aumentar a taxa de juro da facilidade permanente de absorção de liquidez de 1,50 para 1,75 por cento ao ano.

Mercado atractivo
A banca angolana mantém-se como o principal vector de atracção de investimento financeiro, uma vez que a sua solidez e a forte capacidade de transformar em créditos os depósitos de clientes concentrados tornam-na num factor de garantia, só por si mesma.

Numa recente publicação, o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), o Banco Mundial (BM) e outros organismos internacionais reforçaram, positivamente, a sua visão sobre a existência de condições políticas e de mercado favoráveis à entrada de investimento externo, apoiando-se, por outro lado, nas demonstrações financeiras destas instituições bancárias.

Agregados sobre o comportamento da economia angolana, no âmbito da região subsahariana, continuam bastante favorecidos pela forte produção petrolífera, principal produto de exportação, e um crescimento forte do sector não mineral, bem acompanhado por eficientes políticas de medidas fiscais e tributárias.