A taxa de inflação homóloga nacional registou pelo oitavo mês consecutivo uma redução. As projecções que apontam para que a taxa de inflação se situe abaixo do previsto na Programação Macroeconómica Executiva para o ano (23%). Adicionalmente, espera-se uma tendência para a redução das taxas de juro de crédito na economia.
Esta nota ficou sublinada nas apreciações sobre o desempenho da economia que o Comité de Política Monetária do BNA fez na terça-feira desta semana, aquando da sua reunião ordinária.
O IPCN (Índice de Preços no Consumidor Nacional), que inclui todas as províncias, registou uma variação mensal de 1,26% no mês de Junho, inferior à registada no mês anterior (-0,01 p.p.) e uma variação homóloga de 19,52% nos últimos 12 meses (-0,32 p.p.). As províncias que apresentaram as maiores variações mensais foram: Malanje (2,63%), Bengo (2,38%) e Moxico (1,92%), tendo as províncias da Lunda Sul (0,77%), Namibe (0,86%) e Cuando Cubango (0,86%) registado as menores variações. No que diz respeito ao panorama geral do IPCN por classes, constatou-se que a maior variação mensal de preços foi observada na classe de Vestuário e Calçado (1,99%).
No mesmo encontro, de acordo com o comunicado final, o Comité de Política Monetária do Banco Nacional de Angola (CPM) reuniu hoje, dia 17 de Julho de 2018, tendo decidido reduzir a Taxa BNA, de 18% para 16,5%. O CPM decidiu também manter a taxa de juro da Facilidade Permanente de Absorção de Liquidez inalterada e reduzir o coeficiente das Reservas Obrigatórias para os depósitos do sector privado, do Governo Central e dos Governos Locais, em moeda nacional, para 17%.
A Base Monetária em Moeda Nacional, variável operacional da política monetária, contraiu 7,75%, em Junho de 2018 e 4,58% em termos homólogos
face a Junho de 2017.
No mercado monetário interbancário, observou-se, no mês de Junho de 2018, uma redução de 9,49% dos montantes transaccionados, totalizando um fluxo de Kz 752,64 mil milhões. A LUIBOR, na maturidade overnight, situou-se em 21,27%, o que representa um aumento face ao nível em que se encontrava no início do ano (17,77%).

Moeda em posse do público
reduz 1,30 por cento em 12 meses

que congrega a totalidade dos depósitos bancários em moeda nacional e as notas e moedas em poder do público, reduziu durante o mês de Junho em Kz 58,55 mil milhões. Com efeito, passou de Kz 4.499,73 mil milhões em Maio para Kz 4.441,18 mil milhões em Junho de 2018, o que corresponde a uma diminuição de 1,30%. Nos últimos 12 meses, este indicador variou positivamente em 1,88%. No mercado de crédito, observou-se uma expansão mensal do Crédito em Moeda Nacional de 3,55%.
Para garantir a preservação do valor da moeda nacional, o BNA procura manter o equilíbrio entre a oferta de meios de pagamento e o crescimento da actividade económica. O que se procura é assegurar que a variação dos agregados monetários seja consistente com o nível de actividade económica.

Compromisso com empresas
obriga a inovação de produtos

A busca por soluções que facilitam o dia-a-dia das pequenas e médias empresas esteve na origem do prémio de melhor participação Banca e Serviços Financeiros atribuído ao BAI na edição 2018 da Filda. Num comunicado distribuído à imprensa, o BAI reafirma o seu compromisso com o mercado.
As pequenas e médias empresas, que em Angola constituem 2 % do tecido empresarial angolano e são responsáveis por 5% da arrecadação tributária do imposto industrial, têm papel fundamental para alavancar o crescimento económico, sendo que soluções que facilitam as suas operações quotidianas, como a abertura de contas, depósitos, entre outros, contribuem significativamente para o aumento da sua relevância enquanto geradores de emprego e suporte do crescimento económico.
O BAI Directo, canal virtual do BAI, permite aos seus clientes terem acesso a funcionalidades exclusivas às PME que, pela acessibilidade e facilidade de uso tornam o seu dia a dia mais eficiente em termos de tempo despendido para operações como depósitos, abertura de contas, pagamentos de salários, entre outros.
Entre os serviços inovadores destacam-se as máquinas de depósitos automáticas que garantem um depósito rápido e seguro, estando já disponível 6 (seis) unidades em Luanda e prevendo-se a implementação de mais 18 (dezoito) até ao final do ano.
Entre os vários requisitos, para efectuar o depósito automático, “o cliente deve ter os dados bancários actualizados, inserir os dados de identidade, escolher no ecrã o número de conta e inserir até 25 notas de cada vez, até ao montante máximo de 250 mil kwanzas, depois, aguardar o comprovativo da operação”.

Reservas perdem usd
1,3 milhão em Junho

As Reservas Internacionais Brutas (RIB), em Junho de 2018, situaram-se em USD 17,50 mil milhões contra os USD 18,98 mil milhões, em Maio de 2018, e USD 18,06 mil milhões em Dezembro de 2017. No final do mês em análise, o nível de reservas internacionais representava 7,29 meses de cobertura das importações de bens e serviços.
No período em análise, o BNA vendeu um total de Euros 1.389,91 milhões aos bancos comerciais, tendo a venda acumulada, no corrente ano, sido de Euros 5.749,99 milhões. Este valor é inferior ao montante vendido aos bancos comerciais no mesmo período do ano passado, em 9,76%. Destaca-se ainda a conclusão da generalidade das operações cambiais pendentes no sistema bancário a 31 de Dezembro de 2017, com excepção das situações em regularização conforme calendário acordado com as entidades locais envolvidas.