A ministra das Finanças, Vera Daves, disse que vai manter a sua aposta na melhoria da “saúde” das finanças públicas, através de um sistema tributário moderno, transparente, justo e equitativo.
O foco do sector das Finanças consiste na melhoria da qualidade da despesa pública, afirmou a governante, quando falava na cerimónia de tomada de posse dos membros do Conselho Fiscal, directores, consultores e conselhos de administração das empresas dos Ministérios das Finanças e da Energia e Águas.
Ao dirigir-se aos recém-empossados, apelou-lhes para se dedicarem à tarefa que lhes foi conferida, para que os seus trabalhos tenham resultado positivo e impactante na vida da população.
Acrescentou que devem ter mais responsabilidade na gestão do erário, através da disciplina, e contribuir para a liquidez dos bancos, assim como maior fiscalidade.
Já o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, que testemunhou o acto, afirmou que o sector está num processo de empresarialização.
Informou que, com a construção de vários sistemas de abastecimento de água no país, o sector hídrico está preocupado com a operação e manutenção destas infra-estruturas, assim como a garantia da comercialização da água.
“A preocupação não consiste apenas no aumento da produção de água, através da construção de novas instalações, mas também na manutenção dos sistemas, face ao que está a ser construído”, justificou.
Em relação aos constrangimentos, afirmou que a falta de capacidade de manutenção fez que, nas zonas rurais, muitos sistemas hídricos paralisassem, daí a preocupação em manter as instalações existentes.
João Baptista Borges referiu que, entre os projectos previstos para este ano, a nível do seu sector, está a criação de um sistema de abastecimento de água em Ndalatando, província do Cuanza Norte, com duração de três anos.