O governador da província do Zaire, José Joanes André, disse que quer ver aberto e a funcionar os balcões do Banco de Poupança e Crédito (BPC) construídos nas sedes municipais do Cuimba e do Tomboco, em 2012 e 2014, respectivamente.
De acordo com o governador, que falava num encontro com os membros do governo provincial, a inoperância dessas agências bancárias tem criado sérios constrangimentos não só aos munícipes locais como também às instituições do Estado na arrecadação de receitas.
“É muito difícil os cidadãos deslocarem-se das suas zonas de jurisdição para a cidade de Mbanza Kongo para efectuarem transacções bancárias, transportando consigo avultadas somas”, referiu o governador.
Para o governador, para além dessas duas municipalidades, esforços serão também envidados junto das entidades competentes para a abertura, nos próximos tempos, de um balcão do BPC no município fronteiriço do Nóqui, que dista a 175 quilómetros da cidade de Mbanza Kongo.
“Falamos com o ministro das Finanças para nos ajudar, neste sentido, e este prontificou-se em apoiar-nos, visando a abertura dos dois balcões construídos há bastante tempo nos municípios do Cuimba e Tomboco”, assegurou.
Disse acreditar que com a entrada em funcionamento de instituições bancárias nessas localidades o volume de receitas a arrecadar para os cofres do estado poderá aumentar nos próximos anos.